QUA 26 DE JUNHO DE 2019 - 12:59hs.
Conversas em andamento

Corinthians admite conversas com sites de apostas por patrocínio máster

A lei promulgada no dia 12 de dezembro que cria a modalidade de apostas esportivas, primeiro passo para a legalização dos jogos e apostas no Brasil, animou o Corinthians. Isso porque agora há chance de um clube brasileiro ser patrocinado por algum site de apostas, como acontece em diversos times da Europa. De acordo com dirigentes do Alvinegro, já houve até conversas com um site de apostas sobre um possível patrocínio.

O Corinthians não tem patrocínio master fixo (sem ser pontual, como foi a Renault no segundo jogo da final da Copa do Brasil deste ano) desde abril de 2017, quando acabou o contrato com a Caixa Econômica Federal. A diretoria diz ter conversas em andamento, já mostrou otimismo em relação a um acerto, mas ultimamente passou a adotar mais cautela ao falar sobre o assunto.

O gerente de marketing do Corinthians, Caio Campos, em conversa com o Estado, revelou que se reuniu com representantes de sites de apostas, mas não especificou o nome das empresas. “Já conversamos. Apesar de ser recente a liberação, já conversaram com a gente sim”, disse. No entanto, afirmou também que não há nada sacramentado e que vem analisando outras propostas também.

“O patrocínio de sites de apostas é uma realidade na Europa. Na Inglaterra, eles são a Caixa de lá. Cada clube tem um site de apostas na camisa. Por que não usar aqui? Essa liberação ajuda bastante. É um novo dinheiro para entrar no negócio”, complementou Caio.

Além da possibilidade de ter um site de apostas estampado no uniforme, outro fator anima a diretoria para 2019: há a expectativa de um aquecimento no mercado com a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Na previsão orçamentária para 2019, o Corinthians estima arrecadar R$ 64 milhões com patrocínios. Neste ano, por exemplo, o clube faturou R$ 38 milhões com patrocínios.

O uniforme do Corinthians atualmente é estampado por Positivo (costas), Foxlux (barra das costas), Universidade Brasil (ombros), Ultra (calção), Agibank (manga), Minds (barra da manga) e PES (barra da frente).

No dia 12 de dezembro de 2018, foi promulgada a Lei nº 13.756 ("Lei 13.756/18") (decorrente da Medida Provisória 846/2018) que, entre outras matérias, cria a modalidade de apostas esportivas, primeiro passo para a legalização dos jogos e apostas no Brasil.

De acordo com informações do site Felsberg Advogados, "o mercado brasileiro de apostas eletrônicas sobre eventos esportivos é estimado em R$4,3 bilhões e é atualmente explorado apenas por sites estrangeiros".

O Ministério da Fazenda será responsável pela autorização e concessão das loterias de apostas de quota fixa e deverá regulamentar a atividade no prazo de 2 (dois) anos, prorrogável por igual período, a contar da data de publicação da Lei (13/12/2018).

Fonte: GMB