SÁB 26 DE SEPTIEMBRE DE 2020 - 21:59hs.
Thomas Carvalhaes, Country Manager da LeoVegas no Brasil e LatAm

“Brasil é o país da América Latina que possui mais potencial para o setor de afiliados”

Durante a iGB Lisbon Affiliate Conference, o Country Manager da LeoVegas no Brasil e na América Latina, Thomas Carvalhaes, deu uma entrevista à organização do evento. Ele explicou os desafios e oportunidades únicos apresentados pela América Latina e a melhor forma de aproveitá-los. Quando questionado sobre qual país da LatAm tem mais potencial e seria mais lucrativo para a instalação de subsidiária, ele disse: “Se considerarmos todos os países, o Brasil vem primeiro, México em segundo e em terceiro o Chile.'

Entre os dias 16 e 19 de outubro, se realizou a iGB Lisbon Affiliate Conference e o Gerente Nacional da LeoVegas no Brasil e na América Latina, Thomas Carvalhaes, esteve presente em painéis da feira.

Conversando com a organização do evento, ele destacou a importância de criar planos de marketing diferentes para os países latino-americanos. “Primeiro deve-se ter uma estratégia para os países latino-americanos que falam espanhol e outra diferente para o Brasil, que fala português. Outra coisa muito importante é que apesar de falarem o mesmo idioma desde o Uruguai até o México, eles possuem terminologias muito diferentes”, alerta Carvalhaes.

A parte técnica também tem que ser levada em conta quando planeja entrar na LatAm. “Tem que escrever SEOs relevantes, assim como ter um plano de marketing e um conteúdo feito especificamente para cada país”, sugere. "Já para lidar as diferentes demandas de infraestrutura para fornecer as experiências que os jogadores irão esperar é ver cada nação individualmente e não a América Latina como uma coisa só."

“É um desafio interessante e, para mim, tem que haver informantes locais, pessoas que estejam no país e entendam a cultura. Porque muitos dos erros que as companhias e subsidiárias estão cometendo é ver a América Latina como uma coisa só, o que não é necessariamente o caso. Países que dividem fronteiras e falam o mesmo idioma não são exatamente a mesma coisa. Perceber as diferentes culturas é a chave”, explica.

Quando questionado sobre qual país hispânico da LatAm tem mais potencial e seria mais lucrativo para o setor de afiliados, ele disse: “Definitivamente, primeiro, o México por ser um mercado muito grande e depois o Chile. Isso se considerarmos apenas os países hispânicos da América Latina. Se considerarmos todos, o Brasil vem primeiro, México em segundo e em terceiro o Chile”, concluiu.

Fonte: GMB / IGB Affiliate