QUI 5 DE DEZEMBRO DE 2019 - 18:37hs.
Joakim Renman, diretor comercial da Scout Gaming

“O Brasil será um dos mercados mais importantes para as operadoras de apostas nos próximos anos”

A Scout Gaming anunciou a entrada no mercado brasileiro aliada ao Jogajá. Em entrevista exclusiva à GMB, o diretor comercial da empresa responsável por fazer negócios no Brasil, Joakim Renman, fala sobre a Fantasy Sports, sua posição como líder, as razões para escolher o país para iniciar operações na América do Sul e por que fazer parceria Joguejá. 'Precisávamos de alguém com experiência local e forte conhecimento sobre como ter sucesso no mercado brasileiro', diz Renman, que garante que os brasileiros terão a mais moderna plataforma Daily Fantasy Sports do mundo.

GMB - A Scout Gaming anunciou sua entrada no Brasil, tornando-se o primeiro mercado da América do Sul onde irá operar. Por que a escolha pelo Brasil?
Joakim Renman- O Brasil é um mercado muito excitante e dinâmico, com enorme potencial. Quando olhamos para diferentes oportunidades de entrar em novos mercados, o Brasil foi nossa melhor escolha.

No Brasil, a empresa fará parceria com a Jogajá. Como nasceu essa parceria?
Os investidores por trás da Jogajá têm uma longa e vasta experiência no lançamento e operação de negócios digitais de sucesso no Brasil, desde o comércio eletrônico até o jogo. Seu conhecimento do mercado brasileiro combinado com a experiência prática de lançar empreendimentos online e abordagem profissional nos deixou impressionados e confiantes de que o projeto será um sucesso.

Por que é importante para a Scout Gaming associar-se à Jogajá? Quais são as principais características que essa parceria trará para os clientes?
Precisávamos de alguém com conhecimento local e forte conhecimento sobre como ter sucesso no mercado consumidor brasileiro. Nosso parceiro também tem um influenciador muito forte e uma rede de mídia que eles utilizarão para este projeto. As pessoas no Brasil serão tratadas com a melhor e mais moderna plataforma Daily Fantasy Sports do mundo. A Jogajá conduziu uma extensa referência de produtos disponíveis no mercado e descobriu que nosso software de jogos está a milhas de distância de qualquer coisa que já esteja no mercado. Os jogadores poderão aproveitar a oferta de jogos mais ampla do mundo para a DFS, os maiores prêmios e a experiência superior do usuário.

O aviso de entrada no Brasil tem relação direta com a recente aprovação da lei que liberou apostas esportivas no país?
Na verdade, esta é, naturalmente, uma consideração muito importante e que vamos manter um olhar atento.

Você acredita que este é o primeiro passo na regulação de todo o mercado de games no Brasil?
É difícil dizer com certeza neste ponto, mas permanecemos cautelosamente otimistas.

Qual posição o Scout Gaming ocupa no mercado internacional de Fantasy Sports?
Somos atualmente líderes de mercado, ampliando os limites do que é Fantasy Sports e do que será no futuro. A Fantasy Sports está em estado de estagnação há alguns anos, sem grandes inovações ou desenvolvimento. Nós decidimos há exatamente dois anos que era hora de levar a Fantasy Sports para o próximo nível, introduzindo novos conceitos e combinando elementos tradicionais de apostas com fantasia. Um exemplo recente é o nosso autônomo Player Odds Sportsbook, desenvolvido internamente e que estamos lançando para nossos parceiros.

Você tem planos de expandir os negócios para outros países da região?
Estamos envolvidos em várias discussões de longa data nos países vizinhos e atualmente revisamos cada caso de negócio para determinar qual deve ser o próximo passo.

Como você analisa o potencial do mercado de apostas no Brasil e o futuro do Fantasy Sports no país?
Com uma população de mais de 200 milhões de pessoas, uma das maiores economias do mundo e uma forte tradição esportiva, o Brasil será um dos mercados mais importantes nos próximos anos para as operadoras de apostas. Ser capaz de lançar o Daily Fantasy Sports já para ganhar uma posição inicial será fundamental para muitas empresas que querem assumir uma posição de liderança.

Fonte: exclusivo GMB