MAR 3 DE AGOSTO DE 2021 - 01:47hs.
As apostas esportivas já são legais

O mercado brasileiro de jogos de azar está prestes a explodir

Os jogos ilegais no Brasil têm sido amplamente falados e a possibilidade de regulação deste mercado está a ser discutida. Mas, afinal, que mudanças se esperariam da regulação dos casinos? A intenção de regularizar as questões dos jogos online no Brasil tem várias razões de ser, além da insistência dos próprios brasileiros, que aguardam pela possibilidade de embarcar nos jogos de casino legais.

O projeto de legalização visa a regulação de vários tipos de jogo, incluindo o vídeo-bingo e as slot machines. A discussão em torno desta alteração nos cassinos online tem apresentado opiniões diversas sobre o impacto que a legalização do jogo poderia ter, tanto em termos económicos como sociais. Desde dezembro passado, as apostas esportivas já são legais, o que impulsiona grandes sites internacionais, como a Betclic, a operar.

Nesse cenário, várias casas de apostas chegaram ao Brasil para patrocinar equipes de futebol, atletas ou eventos. Um dos mais relevantes é o 1xbet, que oferece aos novos apostadores interessantes bónus de depósito. Os bônus da 1xbet podem chegar até 100€ em alguns casos.

A proposta apresentada para que o processo pudesse avançar contempla várias atividades de jogos de fortuna e azar, incluindo os jogos de casino, o jogo do bicho e as casas de bingo; mas também os jogos online e as slot machines: duas atividades que, atualmente, são ilegais no Brasil. A aprovação do projeto apresentado equivaleria, portanto, à liberação de jogos como os caça-níqueis: um dos favoritos do povo brasileiro.

O mercado brasileiro de jogos de azar está prestes a explodir. Proibidas no país há mais de 77 anos, as atividades ligadas às apostas e jogos de azar recreativos parecem voltar ao Brasil pouco a pouco. Prova disso são os patrocínios de casas de apostas em exatos 10 dos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro 2019.

Mas o fenômeno não é apenas nacional. Na Premier League, a 1ª divisão da Liga Inglesa, metade dos clubes também estampam patrocínios de casas de apostas em sua camisa. Na 2ª divisão, a dominância é ainda maior, 17 dos 24 times do Championship têm algum tipo de patrocínio de jogos de azar. Novidade no Brasil, onde as únicas atividades de jogo legal nos últimos anos foram as loterias do Estado, exploradas pela Caixa Econômica Federal como Mega-Sena, Loteca, Lotofácil, e apostas em corridas de cavalo nos jóqueis.

Com a provável legalização, a renda que iria parar nos cofres federais e estaduais em forma de impostos trazem estimativas animadoras. Segundo um relatório da GamblingCompliance, o mercado brasileiro de apostas esportivas já gera algo em torno a US$ 1 bilhão (algo em torno a R$ 4 bilhões) em receita. As novas previsões do relatório é de que a receita possa dobrar assim que a nova legislação for implementada e o mercado começar a amadurecer.

Atualmente mais de 75% dos 193 países membros da comissão da ONU já legalizaram os jogos de azar, mas o Brasil ainda faz parte dos outros 25%. E nem sempre a proibição funciona; com a evolução da Internet, os jogos de cartas de mesa e o negócio online de bet sport hoje em dia são imensamente populares, tanto virtualmente quanto em salas de jogos físicos.

Em muitos países, a receita gerada pelo jogo é um enorme benefício financeiro para os governos, pois ajuda a financiar projetos sociais ou de saúde, o que pode ser uma grande notícia para o Brasil. Apesar do fato de o jogo ser ilegal, diversos sites online operam em todo país atualmente e arrecadam enormes quantidades de dinheiro por ano de jogadores brasileiros. Cassinos, bingos, apostas esportivas e jogos eletrônicos online estão entre os passatempos preferidos da geração millenial brasileira.

Em outras palavras, o Brasil possa se tornar um dos maiores mercados regulamentados de apostas esportivas do mundo nos próximos anos. Mas calma, ainda falta um bom tempo para isso se concretizar. O relatório também oferece um panorama atual no Brasil do ponto de vista legislativo. Em dezembro, o Brasil iniciou uma janela de 2 anos para que o ministério estabeleça regulamentações, embora haja a opção de dois anos adicionais, se necessário. A lei não especifica quaisquer custos iniciais de licenciamento, sugerindo que estes também serão deixados para os regulamentos de implementação.

O mercado brasileiro tem um enorme potencial com uma população grande e apaixonada por futebol, o esporte favorito dos apostadores. O esporte mais amado do país, estaria em grande demanda se o Brasil legalizasse as apostas e o Estado agisse apenas como um catalisador necessário para ajudar o mercado a crescer exponencialmente no futuro. Além do lucro, a regularização das apostas online poderia gerar uma média de 200 mil empregos diretos e trazer grandes empresas internacionais para investir dinheiro no mercado. Um mudança que pode trazer uma série de benefícios e arrecadar muito dinheiro em impostos. Um trato bom para os dois lados.