SÁB 21 DE SETEMBRO DE 2019 - 16:50hs.
SECAP apresentará o texto para ouvir ao mercado 

Em 15 dias, Brasil terá sua primeira minuta da regulamentação das apostas esportivas 

Alexandre Manoel da Silva, secretário de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria do Ministério da Economia, realizou nesta sexta-feira (06), em São Paulo (SP), a palestra ‘Loteria Esportiva e o Futebol: Regulação e Oportunidades de Patrocínio’ durante o Brasil Futebol Expo. No evento, organizado pela CBF, ele antecipou que “em meados deste mês a SECAP quer apresentar uma minuta da regulamentação das apostas esportivas para ouvir o mercado” e que “a resposta da consulta pública foi surpreendente”. 

“Foram 1.849 propostas. Mesmo com algumas repetidas, foram cerca de 600 propostas reais, o que mostra o quanto esse mercado é vibrante e precisava de regulamentação”, afirmou Alexandre Manoel durante sua fala. 

“A regulamentação das apostas esportivas de quota fixa e a concessão da LOTEX completam as modalidades de loteria no Brasil e farão com que nosso mercado não seja mais monopolista”, acrescentou o secretário diante de uma atenta plateia. 

“Para o melhor funcionamento do mercado e combate aos jogos ilegais, estamos deixando 1% para o Governo e 99 % para o operador, assim ele decide quanto ele vai usar para o payout e quanto para a operação”, explicou o responsável pela SECAP. 
 


Em outro momento antecipando a minuta e falando das obrigações que deverão cumprir as empresas interessadas, Alexandre informou que "exigiremos que o operador tenha três requisitos: uma empresa certificadora das máquinas e uma empresa certificadora dos bilhetes. A terceira é uma empresa que seja monitoradora das atividades esportivas. Essas informações serão colocadas também para os reguladores. Se não for assim, não tem como regulamentar, pois o governo não tem recursos para montar uma equipe assim”. 

Por último, o secretário também se referiu aos aspectos de controle e integridade do negócio. “O ilegal é caso de polícia, não é do regulador. Nós não os conhecemos e aqueles que conhecermos denunciaremos à polícia. Não haverá quarentena porque nós não conhecemos essas empresas”. 

Oportunidade para clubes 

Após a palestra de Alexandre Manoel, foi a vez de Ludovico Calvi, presidente da Global Lotery Monitoring System – GLMS - se manifestar. “As apostas esportivas são uma grande oportunidade para os clubes. As operadoras já gastaram nas seis principais ligas Europa cerca de 600 milhões de euros apenas com patrocínio de camisas. Nesse continente, as empresas não podem patrocinar clubes se não tiverem uma licença de operador legal”. 
 


“O dilema dos governos é fazer com que os temas de responsabilidade social, como jogo compulsivo, sejam bem cuidados e, ao mesmo tempo, manter um mercado competitivo e atrativo para os operadores. Esse equilíbrio precisa ser encontrado”, afirmou. 

Sobre os aspectos de integridade do negócio, Calvi opinou que “a integridade do esporte é uma luta que não pode ser travada apenas pelas operadoras. O público, a polícia, a imprensa, todos devem participar dela, senão o esporte perde sua credibilidade”. 

“O perfil dos apostadores se divide entre os que se arriscam muito para ganhar pouco, os high rollers, os apostadores por entretenimento, os ocasionais e os novatos. Nos dois últimos os operadores devem investir. Eles precisam decidir que tipo de apelo terão com o público. Elementos como paixão, envolvimento social, diversão são sempre muito usados”, acrescentou o especialista e presidente da GLMS. 

“É importante saber o que o apostador quer porque o mercado está mudando. O apostador não vai jogar só porque o site tem a aposta mais alta mas, também, pelo bom serviço e a experiência que se oferece a ele”, afirmou. 

Em suas considerações finais, Calvi ressaltou a importância do trabalho que vem sendo feito no Brasil e afirmou que ele pode servir de exemplo para outras localidades. O presidente da GLMS concluiu dizendo que o Brasil precisa colocar em prática essa primeira fase da regulamentação, porém, já deve pensar na segunda fase "porque erros aparecerão e precisarão ser corrigidos com o mercado em atividade".  

Fonte: Exclusivo Games Magazine Brasil