MAR 22 DE SEPTIEMBRE DE 2020 - 20:56hs.
No Brasil

Bitfy e Bodog se unem para oferecer apostas online usando bitcoins

A Bitfy, carteira multiuso e sem custódia de bitcoins, e o Bodog, um dos maiores sites de apostas online e de poker do mundo, anunciam parceria no Brasil. Agora, usuários podem realizar depósitos e resgates na plataforma do Bodog usando bitcoins por meio da Bitfy. O Bodog, pioneiro em aceitar criptomoedas, ampliou as possibilidades tendo mais um facilitador para seus usuários contando com a tecnologia e praticidade oferecidos pela parceira de negócios.

Além dos usuários poderem realizar depósitos e resgates na plataforma do Bodog usando bitcoins por meio da Bitfy, a parceria vai oferecer ainda mais um benefício para os usuários: aposta dobrada. Ou seja, se o jogador apostar 100 bitcoins, na verdade, ele está apostando 200.

“O público que faz uso de criptomoedas e do mercado de apostas têm muito em comum, com um comportamento mais inclinado ao risco. Muitos dos nossos clientes já utilizavam Bitcoin para depósitos em websites de aposta fora do País que aceitam Bitcoin como forma de pagamento, aproveitando as facilidades do app e economizando IOF. Essa parceria tornará esse processo mais simples e seguro, ao lado do mais respeitado player do segmento”, explica Lucas Schoch, CEO da Bitfy.

Como funciona:

1. Entre no site do Bodog e faça o cadastro;
2. Para depositar em Bitcoin, baixe o app da Bitfy na Google Play ou Apple Store e se cadastre;
3. Siga o passo a passo que o próprio app da Bitfy vai dar.

A possibilidade de apostas é mais uma das funcionalidades que a Bitfy oferece aos usuários que, por meio do aplicativo, podem utilizar bitcoins para pagar em mais de 1,5 milhão de estabelecimentos e diversos outros serviços digitais.

Na última semana, a empresa anunciou o lançamento da sua mais nova versão que, entre as novidades, traz um novo layout, mais prático e seguro, aumento de privacidade por meio do modo de visualização do saldo, e exibição dos valores em reais e dólares, além da quantidade de bitcoins.

Fonte: GMB/Popular Mais