DOM 29 DE NOVIEMBRE DE 2020 - 13:15hs.
Possível fraude na partida CSP x Sport Lagoa Seca

Sites cancelam apostas após denúncias de suspeita de manipulação de jogos no Paraibano

Após a Federação Paraibana de Futebol (FPF) acionar o Ministério Público e o Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB), ao tomar conhecimento de um suposto esquema de manipulação de resultados, sites especializados cancelaram as apostas na competição. O jogo válido pela 9ª rodada do Campeonato Paraibano entre CSP e Sport Lagoa Seca, na última quarta-feira (22), teria sido retirado de plataformas de apostas do Brasil e do exterior por alertas da Interpol sobre uma possível fraude envolvendo essa partida.

De acordo com especialistas no ramo de apostas, que são feitas via internet, o jogo válido pela 9ª rodada do Campeonato Paraibano entre CSP e Sport Lagoa Seca, na última quarta-feira (22), teria sido retirado de sites de casas de apostas do Brasil e do exterior.

Segundo esses especialistas, o resultado mais apostado seria 6 x 0 para o CSP e o jogo foi suspenso dos sites em meados do segundo tempo, quando a partida estava 4 x 0 para o time de João Pessoa.

Aos 26 minutos do segundo tempo, o CSP fez o 5 x 0, aos 34 fez 6 x 0 e aos 42 fez 7 x 0, que foi o resultado final. Existem informações de que equipes da Interpol teriam alertado as casas de apostas para uma possível fraude envolvendo essa partida.

A denúncia veio à tona após o presidente do Sousa, Aldeone Abrantes, afirmar ter recebido uma oferta de favorecimento financeiro para participar de uma “manobra” na partida do clube contra o Sport Lagoa Seca, pela segunda rodada do Paraibano.

A FPF acionou o Ministério Público e o TJDF-PB, nesta terça-feira (28), após ter acesso a áudios que comprovariam a tentativa de manipulação.

A presidente Michelle Ramalho, encaminhou um ofício ao presidente do TJDF-PB, Raoni Vita, pedindo que “sejam adotadas todas as providências cabíveis para a apuração rigorosa dos fatos e que sejam punidos exemplarmente todos os responsáveis”.

Além disso, no ofício entregue à FPF informa que o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público foi noticiado e os áudios encaminhados para esses órgãos. Os sites de apostas retiraram o campeonato da grade e alguns deles informaram que os clientes procurem os cambistas para ressarcimento do valor apostado.

Histórico

Esta não é a primeira vez que uma possível manipulação de resultados acontece na Paraíba. Dirigentes e árbitros de futebol foram condenados pela Justiça no âmbito da Operação Cartola, da Polícia Civil e Ministério Público da Paraíba, deflagrada em abril de 2018.

Pela Série D do Campeonato Brasileiro, em 2019, a partida entre Campinense x Vitória (PE), que terminou com a Raposa vencendo por 4 x 0 em Campina Grande também levantou suspeitas de manipulação de resultados.

Já em janeiro deste ano, o presidente do Sousa Esporte Clube, Aldeone Abrantes, denunciou um suposto esquema de manipulação de resultados na temporada 2020 do Campeonato Paraibano.

Em um audio veiculado pelo WhatsApp, o dirigente afirmou ter sido procurado por emissários de “uma pessoa conhecida ligada ao futebol da Paraíba” para participar do esquema. Na ocasião, a presidenta da federação Paraibana de Futebol (FPF), Michelle Ramalho, afirmou que teve acesso aos áudios e em nota, disse que procurou as autoridades e repassou o material para que seja apurado. Até a publicação desta matéria, nada aconteceu.

Fonte: GMB / polemicaparaiba.com.br / paraiba.com.br