DOM 24 DE ENERO DE 2021 - 00:32hs.
Casa de apostas parceira da CONMEBOL

Fim da maldição do Grêmio na Libertadores completa 3 anos e é destaque na Betfair.net

O desfecho de uma maldição de quatro edições seguidas de eliminações nas oitavas de final da Copa Libertadores é lembrado pelos torcedores do Grêmio no segundo episódio da série “Todo Resultado É Possível”, da Betfair.net, casa de apostas internacional e parceira oficial dos principais torneios da CONMEBOL. Os jornalistas e embaixadores da marca, Mauro Cezar e Chico Garcia, lembram a atmosfera de emoção que marcou triunfo de virada do time de Renato Portaluppi em 2017.

Desde agosto de 2019, com a aparição da marca nas placas de publicidade da partida entre Grêmio e Palmeiras em Porto Alegre, a Betfair colocou um pé no futebol sul-americano. Como patrocinador oficial da Copa Libertadores e da Copa Sul-americana pelos próximos 4 anos. A série “Todo Resultado É Possível” fará os fãs recordarem oito momentos memoráveis da competição, em que o futebol quebrou prognósticos e mostrou por que é o esporte mais popular do mundo.

O triunfo do time de Renato Portaluppi por 2 a 1 sobre o Godoy Cruz (ARG), em Porto Alegre, com uma virada emocionante que abriu caminho para o tricampeonato em 2017, completa três anos nesta data.

“Era um trauma, uma etapa a ser superada e isso incomodava, até porque o clube viveu um período difícil. Foram 15 anos sem títulos além das fronteiras do Rio Grande do Sul. Essa série incômoda foi encerrada em 2016 com a conquista da Copa do Brasil, sob a batuta de Renato Portaluppi, que levou o tricolor de volta à maior competição do continente. Em 2017, parecia que a história estava se repetindo, quando o time perdia para o Godoy Cruz por 1 a 0”, lembrou o comentarista Mauro Cezar.

Após uma vitória no duelo de ida por 1 a 0, com gol de Ramiro, o clima no Grêmio era de otimismo com a classificação em casa. Mas, diante de 38 mil torcedores na Arena do Grêmio, a confiança se transformou em medo logo no início da partida de volta. A sina das oitavas de final ainda tirava o sono dos gremistas.

“O Grêmio vinha de uma maldição nas oitavas de final nos últimos anos. Mesmo vencendo fora, quando sofreu um gol em casa e perdeu a vantagem, toda aquela apreensão tomou conta da Arena em Porto Alegre. A virada reforçou a força daquele elenco, com os gols de Pedro Rocha e a participação fundamental de Lucas Barrios. Foi um sentimento de que naquele ano o desfecho poderia ser diferente”, afirmou Chico Garcia.

Logo no início, o goleiro Marcelo Grohe teve de fazer uma defesa importante. E a equipe argentina abriu o placar aos 13 minutos, com Javier Correa beliscando a trave, tornando o cenário ainda mais dramático.

O susto deixou o grupo em alerta. Aos 28, Luan, pela direita, testou o goleiro Burián, que deixou a sobra para Lucas Barrios. Atento, o atacante empurrou para Pedro Rocha selar o empate. A virada veio na segunda etapa, aos 14 minutos, novamente com Pedro Rocha, herói da classificação. Dali em diante, a equipe derrubou o Botafogo, nas quartas, o Barcelona-EQU, na semifinal, e o Lanus-ARG, na decisão.

“O Imortal conseguiu uma reviravolta histórica. Pedro Rocha brilhou com dois gols e decretou o triunfo por 2 a 1, que embalou o elenco para a conquista daquela edição, quebrando uma incômoda escrita”, disse Mauro Cezar.

Fonte: GMB