DOM 29 DE NOVIEMBRE DE 2020 - 17:25hs.
William Lozano, gerente de Desenvolvimento de Negócios

“Na Altenar vemos que as apostas aumentaram três vezes no ano passado no Brasil”

Com importante presença em diversos países da América Latina como Colômbia, Peru e México, a Altenar pode falar com propriedade sobre a situação do mercado na região. E é o que faz seu gerente de Desenvolvimento de Negócios, William Lozano, nesta entrevista ao GMB, em que deixa claras as ambições da empresa no Brasil. “É o pico da indústria nesta área. Todo mundo quer vir para fazer negócios”, diz, confirmando que Altenar é, sem dúvida, um deles.

GMB - A expansão na América Latina sempre foi um objetivo claro da Altenar em 2020. Em quais países a empresa está presente e com quais parceiros?
William Lozano -
Estamos praticamente em todo o continente. Temos presença na Colômbia com a primeira ou agora segunda maior operadora do país, a Wplay; estamos no Peru com a Doradobet e a KTO, esta presente no Brasil também com a Betmotion; e nossa marca está no México com a Playdoit. Na Jamaica, estamos atualmente em processo de liberação de uma nova operadora; no Peru, costumamos receber muitas solicitações de nossa Demo de mercados que estão prontamente para ser regularizados.

A experiência com a Wplay na Colômbia é um caso de sucesso que você gostaria de replicar nos demais mercados da região?
O caso do Wplay foi muito especial para nós. Estivemos com eles desde o início de todo o processo, seja quando iniciaram o design e funcionalidades do site, ou quando iniciaram a integração com a Altenar. Outra experiência interessante foi quando obtiveram a licença para operar, o que deu à Wplay a honra de se tornar a primeira operadora regulamentada do país. Aprendemos muito com a Wplay e há algo que gostaria de destacar neste caso: a flexibilidade em termos de abordagem a alguns potenciais clientes. Na verdade, cada país é diferente e as necessidades de cada operadora também, e isso é algo que a Altenar faz muito bem, temos mais de cinco anos de experiência no mercado LatAm.

Como você avalia a penetração da marca no México e no Peru?
Estamos no México com a Playdoit há quatro anos. No começo não foi fácil, pois o mercado mexicano tem uma característica especial: a influência do esporte norte-americano, então o design, por exemplo, de um site de apostas é diferente de um normal que você encontra no resto da América Latina. Outro ponto relevante para o mercado mexicano é que os esportistas gostam de apostar, claro que o futebol é o esporte principal, seguido pelo boxe, beisebol e basquete. A Playdoit está indo muito bem agora e a Altenar gostaria de aumentar sua presença lá com outros parceiros. Fechamos um acordo comercial com uma operadora terrestre, mas infelizmente foi adiado devido ao COVID-19.

Achamos que o Peru é um país extremamente interessante para a indústria de apostas esportivas. Estamos lá com a Dorabet e, como afirmei acima, um novo parceiro logo veria a luz das apostas. Acho que em pouco tempo o Peru regularizará o setor de jogos online.

Quais são suas expectativas e planos para o mercado brasileiro?
O Brasil é o auge da indústria nesta região e a expectativa é grande com cerca de 200 milhões de pessoas. Todo mundo quer vir para fazer negócios. A Altenar tem uma colaboração com a Betmotion, e a KTO também se juntou a nós há alguns meses. Não sabemos como será a regulamentação do setor. Se for como a que temos hoje na Colômbia, pensamos que todos do setor teriam oportunidades neste grande país.

Como está o acordo da Altenar com a KTO no Brasil e no Peru? Como você avalia os resultados desta parceria?
Estamos muito felizes com nosso parceiro de negócios KTO. Acabamos de começar no Peru, e em breve lançaremos também no Brasil. O potencial é importante e faremos todo o possível para garantir que a KTO capitalize tudo isso.

Você já tem outras empresas interessadas em incorporar os serviços e produtos da empresa para atuar no Brasil?
No momento temos recebido algumas solicitações de Demos e mais informações sobre nossos produtos e serviços. Estamos conversando com uma operadora, mas nada foi fechado ainda. Avisaremos a mídia se conseguirmos fechar um negócio.

O que a Altenar espera dos regulamentos que o Brasil está preparando? Quais pontos-chaves seriam mais vantajosos para a empresa?
Estamos aguardando o desenvolvimento da legislação neste país, mas uma coisa é certa: a regulamentação será uma realidade em pouco tempo. As apostas aumentaram três vezes no ano passado no Brasil.

Você acompanha de perto o que está acontecendo na Argentina com os regulamentos regionais? Esse mercado parece um pouco atrasado por questões políticas, concorda?
Não apenas por questões políticas, o mercado está atrasado. Existem outras questões como a tributação do jogo, a transferência da moeda argentina para fora do país e, claro, a pandemia do vírus. Todos esses itens criaram uma tempestade perfeita para atrasar o desenvolvimento do jogo na Argentina.

Como a pandemia afetou a empresa e quais são as metas para o resto de 2020?
Todos foram afetados e nós também sofremos, mas graças a um bom planejamento conseguimos manter todo o staff. Por exemplo, nosso pessoal trabalhava em casa. Em termos de receitas, diminuímos como os outros, mas agora atingimos os mesmos números do ano passado.

Finalmente, falamos muito sobre LatAm, mas nada sobre a Europa e o resto do mundo. Como tem sido o trabalho da Alternar nesses mercados?
Bem. Os dois principais continentes de expertise da Altenar são América Latina e Europa. Acabamos de lançar nossa solução de apostas esportivas totalmente gerenciada no site do Ninja Casino, operado pela Global Gaming, um dos sites mais importantes nos países nórdicos. Em breve anunciaremos novos projetos na Itália e em outro país europeu que não posso divulgar agora. Estamos trabalhando muito para expandir nossos negócios cada vez mais.

Fonte: Exclusivo GMB