JUE 16 DE SEPTIEMBRE DE 2021 - 18:58hs.
Juan Barrachina, Diretor de Vendas para a América Latina

“Brasil é importante para a Kambi e será ainda mais com a regulamentação das apostas esportivas”

Em conversa exclusiva com Gildo Mazza no ciclo de entrevistas GMB One-On-One, Juan Barrachina, Diretor de Vendas da Kambi para a América Latina, falou sobre o mercado mundial de apostas esportivas, o impacto que a abertura dos Estados Unidos trouxe à Kambi e a expectativa quanto à regulamentação das apostas no Brasil. Segundo ele, a Kambi está apontando para o mercado brasileiro como prioritário e “já estamos na etapa de busca de talentos para desenvolver nosso negócio no Brasil”.

A Kambi é um dos principais players do mercado mundial na oferta de serviço de apostas esportivas oferecendo “equipe e tecnologia a operadores de jogo que possuem licenças em seus países. Somos provedores do produto aposta esportiva para que os jogadores do operador possa utilizar em qualquer canal de jogo, que pode ser um local físico - um cassino ou sala de apostas - ou por meio de seu computador, tablet e pelos smartphones” diz Juan Barrachina, Diretor de Vendas para a América Latina da Kambi.

Com mais de 20 anos de existência, a Kambi, na avaliação do executivo, alcançou grandes méritos graças à visão dos fundadores da empresa, que durante anos trabalharam como operadores. “Eles foram visionários e viram que o negócio das apostas esportivas online iriam se complicar cada vez mais. E em que sentido? Os mercados começavam a se regulamentar e, portanto, os produtos teriam de ser adaptados a cada país. As apostas esportivas mudaram. Antes, fazíamos apostas apenas na pré-partida e era necessário investir em tecnologia porque começavam as apostas ao vivo”, conta.

Isso aconteceu há 18 anos e desde então a Kambi investe continuamente em equipe humana para desenvolver bem o produto e a tecnologia e a apoiar novos operadores que querem entrar em mercados regulados”, diz.

Com recente aprovação em 15 estados americanos, a Kambi tem, hoje, o mercado dos Estados Unidos, como o principal de sua carteira. Barrachina diz que “é a região número 1 em nível de operadores ativos, de receita, de quantidade de jogadas, de apostas recebidas e também de exigências regulatórias, já que você sabe muito bem que o mercado está abrindo estado por estado. Ainda há muito trabalho a ser desenvolvido”.

De acordo com o executivo, outro mercado importante para a empresa é o colombiano, onde “estamos tendo muito sucesso. Na Colômbia estamos com dois dos três mais importantes operadores e é a forma como atuamos nas principais jurisdições onde entramos”, comenta, destacando que a Argentina e o Peru são outros dois importantes países da América Latina estão seguindo na mesma direção.

Sobre o Brasil, Juan afirma que a Kambi está “apontado como prioritário neste segundo semestre e até para o próximo ano. Estamos na etapa de busca de talento – nacional ou local – que nos possa ajudar a desenvolver nosso negócio no Brasil. Já é um mercado muito grande. Há inúmeros operadores internacionais que estão operando no Brasil e fazendo publicidade. Li no Games Magazine Brasil que são 18 dos 20 clubes da primeira divisão [Brasileirão] tem patrocinadores de empresas de jogos online e apostas esportivas”.

Segundo ele, “o Brasil é um mercado chave e apoiaremos operadores internacionais que conquistem licenças ou participando em algum processo de licitação de loteria de estado ou ajudando operadores locais que tem se desenvolvido nos últimos anos e que querem dar um passo à frente com a melhor tecnologia e melhor produto”, garante.

Fonte: Exclusivo GMB