SÁB 22 DE JUNIO DE 2024 - 21:48hs.
Decisão após instalação da Comissão

CPI obrigará empresas a revelarem casos de apostas incomuns no futebol

Na primeira reunião oficial da CPI da Câmara dos Deputados que irá investigar a manipulação de resultados, uma das medidas apresentadas foi a determinação de que as empresas de apostas esportivas revelem quais acontecimentos no futebol receberam volumes incomuns de apostas. A medida visa a contribuir no combate à prática de match-fixing.

A CPI que apura as denúncias de manipulação de resultados no futebol teve sua primeira reunião nesta semana e inúmeras convocações foram aprovadas, além de ter sido avalizada pelos deputados o plano de trabalho apresentado pelo relator da matéria, Felipe Carreras (PSB-PE).

Também foi aprovado o convite para que integrantes do Ministério Público de Goiás sejam ouvidos para que os deputados conheçam a fundo os rumos da investigação de manipulação de resultados.

Em função de a prática ter se disseminado no futebol brasileiro, o deputado e primeiro vice-presidente da CPI, André Figueiredo (PDT-CE), propôs que as empresas de apostas esportivas revelem eventos específicos de recebimento de apostas em volumes fora do comum que possam significar manipulação de resultados.

Ele apresentou ainda requerimento para que representantes da Sportradar e Stats Perform, que monitoram padrões de apostas no futebol para a CBF e para a Federação Paulista de Futebol, respectivamente, sejam convocados para explicar a forma de trabalho adotada por elas e como suas ferramentas de monitoramento podem contribuir para o combate à manipulação de resultados.

A CPI também quer acesso aos levantamentos das duas empresas para corroborar os possíveis casos de match-fixing apontados nas investigações do MP-GO e mesmo aqueles que porventura não tenham sido apontados pelo Ministério Público no âmbito da Operação Penalidade Máxima.

Fonte: GMB