SÁB 22 DE JUNIO DE 2024 - 21:44hs.
Guilherme Buso, gerente de desenvolvimento de negócios LatAm

“Genius Sports oferece monitoramento e educação para combater manipulação de resultados no Brasil”

O gerente de desenvolvimento de negócios LatAm da Genius Sports, conversou em exclusividade com o GMB sobre a importância do combate à manipulação de resultados. Para ele, “com o mercado maduro e regulado, será possível diminuir a prática”. Buso diz que “a imprevisibilidade é fundamental” e que a Genius Sports tem competência técnica e traz as boas práticas do que foi feito no exterior para o debate no Brasil.

Games Magazine Brasil – As denúncias de manipulação de resultados têm sido manchetes diárias. Os debates sobre o tema são fundamentais para coibir a prática?
Guilherme Buso –
Chega um momento em que todos os players envolvidos com esporte – atletas, árbitros, treinadores, organizadores das competições, governo, órgãos competentes, casas de apostas e empresas como a Genius Sports, que possui a tecnologia para monitorar as partidas no mundo inteiro – cooperem entre si com insights, informações que cada um desses stakeholders possui, para que possamos coibir a manipulação de resultados. Eliminar é muito difícil, mas com o mercado maduro e regulamentado será possível diminuir bastante a prática.

Até porque isso é muito importante, já que a imprevisibilidade é fundamental no esporte!
Essa é a grande graça do esporte. Mesmo quando estamos muito convictos de que um time vai ganhar, tudo pode acontecer num campo ou numa quadra. Quando você coloca isso em cheque, perde-se a graça e a emoção, que é uma das principais sensações de uma competição esportiva. Proteger essas sensações e esses conceitos fundamentais do esporte é imprescindível.

A Genius Sports está num bom momento no Brasil, com duas coisas andando em paralelo no país, o combate à manipulação de resultados e a regulamentação das apostas saindo?
É o momento de tomar a frente no debate. É pegar um problema e tentar, junto com todos, achar soluções, liderando esse processo.

E mostrando competência técnica para isso!
Lógico. Sem a competência técnica e a qualidade, não se pode chamar a responsabilidade para si. Não se pode chamar a atenção para algo tão problemático e preocupante e não ter as ferramentas para contribuir. É usufruir de toda a tecnologia e expertise, trazendo as boas práticas do que foi feito no exterior e trazer isso para o debate no Brasil, colaborando com os ministérios e com a regulamentação e diretamente com as federações.

É o que estamos fazendo e recentemente reunimos quase 200 atletas e dirigentes da Liga Nacional de Basquete para falar sobre esse tema. Eles precisam entender o tamanho do problema e saber o que fazer se forem abordados. Esse tipo de atuação é fundamental. Temos três pilares que contribuem para esse trabalho: monitoramento, educação e ação. É isso que podemos oferecer ao mercado brasileiro.


Fonte: Exclusivo GMB