SÁB 22 DE JUNIO DE 2024 - 23:36hs.
4 anos de vida

Projeto Jogo do Bem do Betsul ultrapassa a marca de R$ 1 milhão doados para causas sociais

Criada em 2019, a iniciativa “Jogo do Bem” foi pioneira em conectar o mundo das apostas por meio dos operadores que, de forma voluntária, pudessem compartilhar parte dos lucros com instituições beneficentes, dando um retorno direto à sociedade brasileira. Capitaneada pelo Betsul, a ação já atingiu mais de R$ 1 milhão em doações a causas sociais.


Após uma avalanche de mídia negativa, escândalos de compra de jogadores e manipulação de resultados, a atividade que deveria servir de exemplo para fomentar o esporte e servir de base para fazer bem no âmbito social, sofre de falta de consciência.

Durante esses mais de 3 últimos anos, operadores de apostas se multiplicaram como nunca se viu no mercado brasileiro, e de forma exponencial acabou tomando conta das grandes mídias que hoje se vê através dos principais portais de internet, canais de televisão, outdoors e muitos outros veículos de comunicação.

Será que o passado recente de jogos no Brasil não deve ter nada a ensinar para este novo mercado de apostas? Quem sabe apenas relembrar o que o ocorria com os bingos, há menos de duas décadas, quando auxiliavam muitas entidades sociais e inúmeros projetos esportivos até mesmo de pouca relevância na mídia, mas carentes de recursos.

As entidades beneficentes e esportes menos valorizados continuam carentes de recursos para financiar suas existências e algumas casas de apostas esportivas, como o Betsul, tem auxiliado no que podem, mas seria muito importante que abraçassem causas nobres para valorizar ainda mais suas marcas e conquistar maior simpatia da sociedade.

 

 

Talvez caiba uma reflexão e análise mais profunda sobre a missão e propósito deste setor. E a sociedade, como fica? Desde 2018 não houve nenhuma contrapartida social efetiva para a população brasileira.

Tais apostas em 2018 foram classificadas no Brasil como Loteria, especificamente como Aposta Esportiva de Quota-Fixa. Além disso a Constituição Federal do Brasil claramente definiu que as receitas oriundas das loterias devem obrigatoriamente ser revertidas ao social. Então, até quando a população brasileira ficará sem esse apoio?

Essas são algumas das perguntas que pairam no ar e que levaram o Betsul a apoiar o “Jogo do Bem”. A visão do programa é bem simples. Além de todas as boas práticas, a ideia sempre foi a de que quantos mais pessoas ou causas sociais forem atendidas, mais defensores das apostas haverá no mercado.

Algumas instituições sem fins lucrativos, participantes da iniciativa, já puderam receber essas doações e aplicar os recursos nas causas em que cada uma delas tem como propósito de existência.

Mas o “Jogo do Bem” sabe que ainda é só o começo. Existe muita oportunidade, potencial de crescimento de doações e amadurecimento de todo setor para que essa grande chance de transformação social não seja desperdiçada. Para conhecer algumas das instituições apoiadas pelo “Jogo do Bem” do Betsul, basta clicar aqui.

Fonte: GMB