SÁB 7 DE DEZEMBRO DE 2019 - 10:40hs.
Marcelo Álvaro Antônio, Ministro do Turismo

“A liberação dos cassinos é um tema inevitável de ser discutido nos próximos meses no Brasil”

Enquanto deputados do bloco conhecido como Centrão retomaram a ofensiva para liberar a abertura de cassinos no País e minutos antes de apresentar os detalhes da transformação da Embratur na Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo, o ministro da pasta, Marcelo Álvaro Antônio, defendeu a liberação integrada a resorts como uma forma de aumentar o número de visitantes no Brasil. “O impacto será considerável na economia do País”, afirmou.

O ministro apontou que o Brasil recebe atualmente cerca de 6,6 milhões de turistas estrangeiros por ano, e a liberação dos cassinos pode ajudar a elevar essa quantidade para até 20 milhões. “Hoje, 93% dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) já têm cassinos integrados a resorts. Isso já é uma realidade”, afirmou.

Questionado sobre as avaliações de que a liberação dos cassinos pode facilitar crimes como a lavagem de dinheiro, o ministro respondeu que o tema precisa ser muito debatido pelo Parlamento com a sociedade, com a participação dos ministérios da Justiça e da Economia.

“Gostaria de envolver a Polícia Federal e a Receita Federal para apresentarmos um projeto desmistificando muitas situações que não condizem com a verdade, como evasão de divisas e lavagem de dinheiro”, completou.

Por outra parte, a Medida Provisória 907, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quarta-feira (27), foi apresentada em coletiva de imprensa pelo ministro e pelo presidente da Embratur, Gilson Machado Neto. Entre as medidas apresentadas está a transformação da Embratur na Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo, deixando de ser autarquia para se tornar Serviço Social Autônomo.

“Com a intenção de gerar mais emprego e renda para o país, anunciamos a transformação da Embratur. Nosso plano é dobrar o número de turistas estrangeiros no Brasil e fazer do turismo um importante protagonista da recuperação da economia brasileira”, destacou o presidente da Embratur. “Depois da isenção de vistos, a diminuição da violência no país e, agora, a transformação da Embratur, o Governo atesta seu compromisso com o setor que é um dos mais importantes para a geração de divisas. Por ora, precisamos do apoio do Congresso para a aprovação da MP”, completou.

O ministro do Turismo também destacou o novo momento do setor turístico brasileiro. “O Brasil passa por um momento fundamental para a mudança estrutural da economia liberal. Queremos abrir nosso país para mais investimentos, melhorar o ambiente de negócios e, pensando em conjunto, tornar o turismo do país mais acessível a todos os brasileiros”, afirmou Marcelo Álvaro Antônio.

Já o secretário Nacional da Aviação Civil, Ronei Saggioro, destacou a meta da pasta que é de chegar a 200 milhões de viagens domésticas e internacionais no Brasil. Atualmente, são 120 milhões. Além disso, a intenção do governo é investir em 200 cidades brasileiras com transporte aéreo regular. Hoje, são 130. “Temos feito grandes investimentos no setor de transporte aéreo. Hoje, são 22 aeroportos concedidos para a iniciativa privada. Queremos os principais players nacionais e internacionais investindo no Brasil. Também trabalhamos pela redução de ICMS sob querosene da aviação, em conjunto com outras pastas ministeriais de modo que as políticas públicas cheguem diretamente ao cidadão”, ressaltou o secretário.

Fonte: GMB