DOM 18 DE AGOSTO DE 2019 - 20:42hs.
Allie Evangelista, VP & Gerente Geral da Penn National Gaming

“Para legalizar o jogo, o Brasil poderia imitar o modelo de Nevada, Iowa, Ohio ou Mississippi”

A gaúcha Allie Evangelista saiu muito jovem do Brasil e nos EUA começou uma carreira ascendente. Hoje atende como VP e Gerente Geral no Hollywood Mahoning Valley Racino em Ohio, e trabalha para a Penn National Gaming, maior operadora de cassinos regionais na América do Norte. Em entrevista exclusiva ao GMB, ela fala sobre a legalização do jogo no Brasil e demonstra seus conhecimentos e experiências: “Se puder ajudar essa indústria fascinante a ser implementada no meu país de uma forma que beneficie a todos, estou dentro!”

GMB - Você é brasileira, porém, foi muito jovem para os EUA... conte-nos um pouco sobre sua história.
Allie Evangelista - Sou gaúcha de Caxias do Sul, RS. Vim aos EUA para fazer um estágio na Walt Disney World, em Orlando, onde conheci meu esposo, Fabio Evangelista. Após terminar a faculdade de Turismo mudei para Orlando, onde morei por seis anos. Comecei minha carreira como housekeeper de hotel na International Drive. Voltei a estudar e completei dois cursos de mestrado. Fui transferida várias vezes para continuar aprendendo e crescendo na carreira. Com boa ética de trabalho e uma atitude positiva se vai longe!

Como se relacionou com o mercado do Jogo?
Durante os anos em hotelaria conheci muitas pessoas e fiz muitos amigos profissionais. Recebi um convite para trabalhar num cassino em Missouri através de um gerente pra quem trabalhei em Orlando. Aceitei a oferta de trabalho e mudamos pra Saint Louis MO em 2006 onde passei nove anos e aprendi tudo sobre Gaming, primeiramente em Slots e depois em jogos de mesas. Mais tarde fui pra Council Bluffs no estado de Lowa como Diretora de Operações e Recursos Humanos. Após dois anos, fui transferida pra Washington no estado da Pensilvânia, e mais recentemente em Ohio.

Atualmente onde trabalha e quais as suas responsabilidades?
Hoje sou vice-presidente e gerente geral no Hollywood Mahoning Valley Racino em Austintown, Ohio. Trabalho para a Penn National Gaming, a maior operadora de cassinos regionais na América do Norte. Temos 42 propriedades e continuamos crescendo. Sou responsável por estabelecer, comunicar e manter a visão, valores, objetivos e cultura da propriedade que trabalho. Promover um lugar positivo para funcionários trabalharem e um lugar de entretenimento para clientes se divertirem. Também temos que manter as leis e regulamentos de acordo com as regras da comissão onde estamos operando, neste caso a Ohio Lottery Commission.

Segue de perto o que acontece no Brasil com o processo da legalização da atividade? Qual a sua  opinião?
Leio muito sobre o que acontece nos EUA e no mundo, inclusive no Brasil, sei que tem muito diálogo e grandes intenções de implementar a legalização do jogo no Brasil, assim como vários outros estados dos EUA e outros países. É uma indústria lucrativa tanto para proprietários, operadores quanto para o governo. Com regulamentos claros e bem implementados a indústria traz muitos benefícios para todos. O mais importante é assegurar a integridade dos jogos com auditoria interna e externa para que os clientes possam se divertir sem preocupação. Também é importante os impostos serem coletados corretamente e utilizados para melhorar as condições da região onde jogos estão estabelecidos.
 


Se tivesse que dar três conselhos aos políticos que hoje debatem o tema, quais seriam?
Jogos existem em todos lugares. Regularizar a indústria traz muitos benefícios. É mais seguro e oferece proporcional benefícios a todos envolvidos.

Nos EUA uma grande parte dos impostos coletados nos cassinos é direcionado à educação. Implementar impostos de uma maneira responsável e razoável e assegurar que os impostos são utilizados no propósito estabelecido é essencial para o sucesso do jogo regulamentado.

Os EUA têm muitos estados que podem servir de modelo para o Brasil implementar o jogo regularizado com sucesso. Estados como Nevada, Iowa, Ohio, Mississippi e muitos outros fazem do jogo uma forma de entretenimento lucrativo e saudável. Sugiro utilizar os controles regulamentais de estados como estes para implementar regras e auditorias que assegurarão uma indústria íntegra.

Se discute muito aqui no Brasil sobre legalizar os cassinos e não todo o jogo (chamam de Lei Sheldon Adelson), qual sua opinião? Para os cassinos não é conveniente que haja outras atividades legalizadas?
Não sei se sou qualificada pra dar minha opinião neste assunto. Moro longe do Brasil há muito tempo e me sinto ignorante a respeito de muitos assuntos referentes à política no Brasil. Minha simples opinião seria de regularizar jogos dentro de uma só modalidade como casinos, assim, é possível regulamentar melhor e controlar a atividade e impostos. Cassinos têm um custo alto de operação. Slots custam caro e a mão de obra deve ser bem remunerada.

Como brasileira, te perguntam muito sobre o que acontece em nosso país? Como nos veem ai fora?
As pessoas são curiosas pra saber de onde sou e como é morar no Brasil. É sempre um começo de conversa quando notam meu sotaque. O Brasil é visto como um país lindo de pessoas queridas e acolhedoras. Eu sempre ouço as pessoas dizerem o quanto querem visitar o Brasil, é sempre uma conversa agradável.

Gostaria de voltar ao país em algum momento para desenvolver a atividade em algum lugar? Gostaria de ser chamada para ajudar com a sua experiência?
Eu amo o Brasil. Minha família ainda mora no Brasil e visitamos quando temos oportunidade. O EUA é o meu país agora. Passei a maior parte da minha vida adulta aqui e tive oportunidades que muitos sonham. Trabalhar com empresas para ajudar a implementação do jogo regularizado no Brasil seria uma oportunidade interessante. Se puder ajudar esta indústria fascinante a ser implementada de uma forma que beneficie a todos, estou dentro!

Acredita que muitos cassinos dos EUA apontam o Brasil como um futuro mercado para se expandir?
Acredito que as empresas globais que operam cassinos hoje nos EUA teriam sim interesse em se expandir no Brasil. Mas não antes de se assegurarem que a regulação da indústria não é comprometida pela corrupção e desvios de impostos. Esta é sempre a maior preocupação de empresas internacionais quando pensam em entrar no mercado brasileiro.

Recentemente foram legalizadas as apostas esportivas, vê isso como positivo? Como acha que elas deveriam ser regulamentadas... com licenças limitadas ou ilimitadas?
Sim, muito. Assim como me refiro a legalização do jogo no Brasil, apostas esportivas existem em todo lugar nos EUA, só não é regulamentado. Agora com a nova lei, estados estão introduzindo apostas esportivas de uma forma segura e divertida como mais uma opção de entretenimento. Impostos estão gerando verbas para os estados concluírem projetos que beneficiarão a população. Sem a legalização as apostas existem, mas ninguém se beneficia da indústria ilegal.

Acredito que licenças limitadas a cassinos é a forma mais segura. Estes estabelecimentos já operam dentro de regulamentos rigorosos e são submetidos a auditorias regularmente. É importante adicionar para todas as modalidades a mesma segurança, ou seja, da indústria de slots, mesas, corridas até as apostas esportivas.

Fonte: Exclusivo GMB