SÁB 21 DE SETEMBRO DE 2019 - 05:47hs.
Eugenia Barthelmess falou no Senado

Nova embaixadora do Brasil em Singapura destaca cassinos em resorts

Durante a 41ª Reunião Ordinária da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado Federal, a diplomata Eugenia Barthelmess foi eleita ao cargo de Embaixadora do Brasil em Singapura. Na sessão, o senador Roberto Rocha (PSDB-MA) e a própria diplomata destacaram que o País deve seguir o exemplo de Singapura e autorizar cassinos em resorts como a Marina Bay. “Eles já ultrapassaram o volume de faturamento dos cassinos de Las Vegas e perdem apenas ainda para Macau”, asseguraram.

O senador falou na reunião que esteve em Singapura em maio para conhecer o funcionamento de cassinos em resorts nesse país. Lá os empreendimentos funcionam de maneira semelhante ao que está proposto “no projeto nosso que tramita aqui no Senado. Registre-se: cassino em resort, exclusivamente cassino em resort”, enfatizou Roberto Rocha.

Ele citou o exemplo de Marina Bay, que custou US$6,5 bilhões e tem integrado um cassino, um shopping, um centro de eventos e um hotel com 2.800 apartamentos e 99% de taxa de ocupação. “Singapura passou de 6 milhões de turistas para 18 milhões porque seu governo tomou a decisão de investir na política pública de turismo, coisa que o Brasil nunca fez. Então, não é liberar cassino pelo jogo; é liberar cassino pela política pública de turismo, de entretenimento”, afirmou.

“Eu fiquei muito impressionado, porque os turistas de lá gastam realmente muito dinheiro no país. A área do cassino, corresponde a 3% do complexo do empreendimento e responde por 75% do faturamento. A taxação é 100%, a arrecadação é enorme”. Por isso Singapura já passou Las Vegas em volume de cassino. Só perde hoje para Macau, que tem 35 bilhões; Singapura, 5 bilhões, e Las Vegas, 4,5 bilhões", acrescentou o senador.

Já a diplomata destacou a capacidade da República de Singapura de definir políticas públicas que alcançam resultados a curto prazo. “Os cassinos, em Singapura, foram autorizados há muito pouco tempo. Apenas a partir de 2006 que o governo local permitiu que esse setor de negócios passasse a existir no país. Desde então esses cassinos já ultrapassaram o volume de faturamento dos cassinos de Las Vegas e perdem apenas ainda para a indústria de cassinos de Macau", garantiu Eugenia Barthelmess.

O senador, por fim, falou que o Brasil deve seguir os bons exemplos. “O Japão também não tinha cassino, e agora legalizou. Como o Japão é maior, mais ou menos do tamanho do Maranhão, tem quatro licenças. Enquanto Singapura tem duas, o Japão tem quatro. Eles dão exclusividade para quem bota seus bilhões de dólares lá”, concluiu Rocha.

Fonte: GMB