DOM 23 DE FEVEREIRO DE 2020 - 14:14hs.
Em reunião com políticos do Republicanos

Autorização de cassinos vira assunto do ministro do turismo com parlamentares

Na busca por apoio à transformação da Embratur em agência, o ministro do turismo reuniu-se com parlamentares do Republicanos. De acordo com o Blog Painel, editado pela Camila Mattoso, da Folha de S. Paulo, os políticos estavam mais interessados no projeto que autoriza cassinos no país do que no assunto que motivou Marcelo Álvaro Antônio a encontrá-los. Embora a intenção tenha sido falar sobre a mudança dentro do ministério, Marcelo também é a favor do debate em torno da liberação dos IR.

De acordo com o Blog Painel, editado pela Camila Mattoso, da Folha de S. Paulo, Marcelo Álvaro Antônio reuniu-se com bancada do Republicanos com o intuito de buscar apoio à transformação da Embratur em agência. Porém o assunto levantado pelos parlamentares durante o encontro foi o projeto que autoriza cassinos no país.

No mês passado, o ministério do turismo chamou a atenção para o fato do Brasil não ter conseguido, em 2019, nem mesmo mais visitantes do que o Museu do Louvre, uma das atrações de Paris, com 60 mil metros quadrados.

O plano é dobrar o número de visitantes até o fim do mandato de Bolsonaro. Chegar a 12 milhões em 2022 e, assim, crescer também os gastos de estrangeiros em território nacional. Para atingir a meta, parte das medidas que o governo acredita que serão benéficas terá de ser aprovada por deputados e senadores no Congresso.

Sobre a volta dos cassinos, deverá haver um embate dos interesses do Turismo até mesmo com “aliados” de Bolsonaro no Congresso Nacional. Marcelo Álvaro considera que é “inevitável” que o assunto da volta dos cassinos ao Brasil chegue ao Congresso.

“É preciso deixar claro que o que buscamos é a implementação de resorts integrados. É o que realmente interessa ao turismo. Não estamos queremos legalizar atividades como bingo ou caça-níqueis. Só para se ter uma ideia, pelo menos 93% dos países ligados a OCDE já contam com os chamados resorts integrados e mais de 95% dos países desenvolvidos no mundo também adotaram essa medida. Então é uma realidade no mundo”, defende o ministro.

Fonte: GMB/ Folha de S. Paulo