VIE 3 DE ABRIL DE 2020 - 19:14hs.
OPINIÃO - Marcelo Rates Quaranta, jornalista

Volta dos cassinos? A velha retórica “destruição das famílias e o vício do jogo” não cola mais

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, deu sinais de apoio para o retorno dos cassinos no Brasil, um tema que divide opiniões entre quem é contra a iniciativa e os que consideram que a atividade pode ajudar a recuperar a economia do país. O jornalista Marcelo Rates Quaranta, do Jornal da Cidade Online, publicou uma coluna na qual afirma que, com tanta oferta de jogo no Brasil, a velha retórica de que a atividade “destrói a família” já não tem sentido nos tempos atuais.

O Ministro Paulo Guedes sinalizou seu apoio à aprovação da Lei que reabre os cassinos no Brasil.

Proibidos no país desde 30 de maio de 1946, por um Decreto do então Presidente Eurico Gaspar Dutra, os jogos de azar podem voltar à legalidade com o projeto de legalização dos cassinos.

Embora a proposta enfrente resistência da bancada evangélica e também da Igreja Católica, ao meu ver é viável, pois pode trazer uma receita ao governo de aproximadamente R$ 15 bilhões/ano, além de gerar milhares de empregos e atrair investidores.

Entre os que já apresentaram proposta de investimento está a rede Ceasar, que promete um investimento INICIAL de R$ 2 bi para a construção de resorts-cassinos.

A volta dos cassinos gera uma infinidade de empregos diretos, tais como garçons cozinheiros, camareiras, músicos, croupiers, guias, e etc, além de indiretos, pois outras atividades seriam também beneficiadas, como as do setor de transportes, alimentação, turismo e etc. Enfim, milhares de empregos;

A velha retórica utilizada pelos grupos puristas a respeito da “destruição das famílias e o vício do jogo” não cola mais. Temos o jogo do bicho, loterias oficiais, corridas de cavalos e etc e, no entanto, joga quem quer.

Os jogos de carteado rolam a solta também, e quais benefícios trazem ao Brasil?

Com o dinheiro arrecadado pelo governo com os cassinos, alivia o caixa para investimentos em saúde, educação, estradas, infraestrutura, e até para a folha de pagamento, pois os governos municipais também receberão parte dessa grana.

De mais a mais, quem tem dinheiro pra jogar em casinos, geralmente vai para fora do Brasil, deixando o dinheiro e gerando empregos lá fora. Ou nos navios, que assim que saem do nosso mar territorial, abrem suas roletas.

Fonte: Jornal da Cidade Online – Marcelo Rates Quaranta