TER 26 DE MAIO DE 2020 - 01:39hs.
Alexis De Vaul se defende após operação policial

Empresa diz que "cassino" em camarote da Sapucaí era cenográfico

A Polícia Federal fez uma operação em um camarote na Sapucaí onde foram apreendidas máquinas caça-níqueis. Entretanto, o diretor da empresa Incentivo Brasil, responsável pelo camarote +Brasil, disse que todo o material era cenográfico. Segundo Alexis De Vaul, todo ano a firma usa um tema específico em seu espaço e, em 2020, o tema foi Las Vegas, cidade americana conhecida pelos cassinos. Ele afirmou ainda que todas as atividades realizadas no camarote não envolviam dinheiro.

Uma operação da Polícia Federal (PF), na última quinta-feira (27), resultou na apreensão de seis máquinas caça-níqueis em um camarote no Sambódromo da Avenida Marquês de Sapucaí. Segundo a PF, dentro do espaço haviam outros equipamentos que simulavam um cassino, como roleta e mesa de carteado.

“No local, os agentes encontraram, além das máquinas, equipamentos e mesas que supostamente indicam que o ambiente estaria sendo utilizado para jogos clandestinos. A ação aconteceu a partir de uma denúncia anônima e as investigações ficarão a cargo da Delegacia de Polícia Fazendária desta Superintendência”, informou a PF em nota.

O responsável pelo espaço, o empresário francês Alexis de Vaulx, alegou que não existiu nenhuma ilegalidade e que as apostas não envolviam dinheiro, tendo apenas caráter recreativo. Segundo ele, o camarote abriu normalmente no sábado (29) para o desfile das campeãs. As máquinas e equipamentos foram locadas de uma outra empresa.

“Nós contratamos uma companhia chamada Casino Experience, que é de São Paulo, e faz atividades lúdicas, recreativas, de cassino, sem envolver dinheiro, o que é permitido pela legislação brasileira. Este foi o tema do nosso camarote este ano. Contamos com 18 crupiês e os nossos clientes brincaram nos intervalos dos desfiles. Eu mandei um ofício, há um mês, para o superintendente da Polícia Federal, explicando a brincadeira”, disse Alexis.

O empresário considerou que foi denunciado “por algum invejoso”. Segundo ele, que se dedica à realização de eventos corporativos, a legalização do jogo pode ser boa para o país, assunto que tramita no Congresso. Já é o décimo ano que ele opera camarotes corporativos na Sapucaí. A assessoria da PF informou que as máquinas caça-níqueis serão vistoriadas para saber se são importadas e se entraram legalmente no país.

Fonte: GMB