MIÉ 21 DE OCTUBRE DE 2020 - 10:09hs.
Expedito Perônico, jornalista e colunista de política

Imposto cobrado dos cassinos seria repartido entre estados, municípios e Ministério do Turismo

O Blog do Expedito Perônico atua nos bastidores da política local com informações exclusivas. Seu diretor, o próprio Perônico, escreveu um artigo sobre o PL do senador Irajá Silvestre (PSD-GO) para legalizar os IRs no Brasil. “Os defensores da liberação dos cassinos, liderados pelo Centrão, vão em busca do apoio de prefeitos e governadores. A pretensão é votar a proposta no Congresso ainda em 2020”, afirma o jornalista.

O senador Irajá Silvestre (PSD-GO) apresentou na semana passada, em meio à pandemia da COVID-19, um projeto de lei para autorizar cassinos no Brasil.

A proposta vinha sendo costurada nos bastidores há meses, com o aval do governo Bolsonaro, representado no debate pelo senador Flávio e pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

Pela proposta a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) incidiria sobre a receita líquida mensal da jogatina, com alíquota de 5%.

O texto apresentado pelo senador traz o conceito de receita líquida dos jogos de azar: “Corresponde ao montante do valor total das apostas efetuadas, incluindo créditos concedidos aos clientes, subtraído o valor total dos prêmios pagos aos clientes sob qualquer forma como resultado das apostas”.

A dinheirama desse imposto específico seria repartida entre estados, municípios e Ministério do Turismo, respeitando os seguintes percentuais: 50% para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), 30% para o Fundo de Participação dos Estados (FPE) e 20% para “promoção internacional do turismo”.

Com essa divisão, os defensores da liberação dos cassinos, liderados pelo Centrão, vão em busca do apoio de prefeitos e governadores. A pretensão é votar a proposta no Congresso ainda em 2020.

De acordo com o projeto, o imposto existiria enquanto durasse a concessão dos cassinos, ou seja, 35 anos, renováveis por igual período. “Os recursos arrecadados com o pagamento da outorga de concessão serão destinados exclusivamente à construção de habitações populares no respectivo estado onde ocorrer a concessão”.

A proposta ainda prevê que o Poder Executivo seja o responsável por regulamentar, fiscalizar e controlar as operações dos cassinos, “bem como aplicar as sanções cabíveis”.

Desde o ano passado, Jair Bolsonaro vem sendo pressionado por líderes do Centrão e pelo próprio filho Flávio a mudar de opinião sobre a legalização dos jogos de azar. Durante a campanha, o então candidato dizia que os cassinos serviam para “lavar dinheiro” e “destruir as famílias”. A bancada evangélica é veementemente contra os jogos.

No início deste ano, um dos parlamentares envolvidos no debate disse que “os olhos do presidente brilham” quando pedem para ele imaginar a Costa Verde — litoral sul do Rio de Janeiro, onde a família Bolsonaro tem casa — repleta de cassinos à beira-mar.

 

Perônico
Expedito Perônico começou no jornalismo em 1982, em Campina Grande (PB). Passou por redações de vários jornais na Paraíba, foi repórter do Jornal do Brasil, e correspondente em Roraima dos jornais Correio Braziliense e Folha de S. Paulo. Foi secretário de Comunicação na 1ª gestão do governador Ottomar Pinto, assessor na Assembleia Legislativa e Chefe de Gabinete na Câmara dos Deputados. Em 2015, resolveu ingressar no jornalismo eletrônico com a inauguração do Blog do Expedito Perônico, no qual atua nos bastidores da política local com informações exclusivas sobre política, bastidores e poder.