SEG 10 DE DEZEMBRO DE 2018 - 06:13hs.
Realizado no último fim de semana

Game XP gera impacto econômico de R$ 53,9 milhões ao país

Evento que trouxe as principais novidades do mercado dos eSports no primeiro Game Park do mundo, com atrações, torneios e games inéditos, para o Rio de Janeiro entre os dias 6 e 9 de setembro, movimentou um total de R$ 53.934.075,13 entre diversos tipos de gastos e tributos, além de criar mais de 1000 postos de trabalho segundo dados da Fundação Getúlio Vargas(FGV).

O Ministério da Cultura (MinC) divulgou neste domingo (09) os resultados do estudo que mostra impacto econômico da Game XP, maior evento de games da América Latina, realizado no Rio de Janeiro entre os dias 6 e 9 de setembro.

Realizado pela Fundação Getúlio Vargas(FGV), levantamento aponta um impacto econômico total de R$ 53.934.075,13.

Do total, R$ 36,7 milhões são de impacto direto e envolvem gastos com hospedagem, alimentação e transporte. Os R$ 17,2 milhões restantes envolvem as atividades de fornecedores impactados pelo evento.

Também foi gerado um total de R$ 5.036.008,30 em tributos, sendo R$ 1.901.169,39 municipais, R$ 581.113,75 estaduais e R$ 2.553.725,16 federais. O evento criou ainda 1.332 vagas de trabalho, 661 empregos diretos e 671 indiretos.

A geração de renda chegou a R$ 17.749.613,10, sendo R$ 8.911.769,26 de forma direta e R$ 8.837.843,84 indiretamente. Para realizar a Game XP, foi feito um investimento de R$ 19 milhões, com um retorno para a sociedade de R$ 2,84 a cada real investido na feira.

A metodologia desenvolvida pela FGV considera o efeito cascata que os gastos efetuados pelos frequentadores da Game XP têm na economia local. Os recursos gastos com hotéis, restaurantes, bares e transporte se expandem para outros setores da economia, pois os prestadores desses serviços precisam adquirir matérias-primas e outros serviços com seus fornecedores.

"Entre 2012 e 2016, o crescimento médio anual do setor de games foi de 28,7% e a estimativa é de que continue crescendo 16,5% ao ano até o ano de 2021. O mercado de games é o 13º do mundo, o maior da América Latina e deve dobrar em receita até 2021", afirmou Sérgio Sá Leitão, ministro da Cultura.

Para realizar a pesquisa, a FGV entrevistou 445 pessoas, entre 6 e 8 de agosto. O levantamento considerou a participação de 100 mil pessoas em quatro dias de evento; destes, 0,5% (500) são estrangeiros, 4,9% (5.100) são brasileiros não residentes na cidade, 9,4% (9.400) são excursionistas – aqueles que foram ao evento, mas não pernoitaram na cidade – e 85% (85.000) são residentes no Rio de Janeiro.

O ministro da Cultura, Sergio Sá Leitão, também comentou sobre a importância do levantamento feito pela FGV. "Queremos mostrar para os contribuintes o quanto os recursos públicos que são investidos em cultura retornam multiplicados na forma de geração de renda, emprego, valor, inclusão social e mais arrecadação tributária", afirmou.

A Game XP trouxe ao Rio de Janeiro o primeiro Game Park do mundo, reunindo atrações, torneios de eSports e games inéditos para o público Brasileiro. Dentre as principais atrações estão o simulador de futebol PES 2019, com uma área em tamanho real para os principais testes de habilidades do jogo; o Experience Bay, um parque de diversões com dez atrações que colocam os gamers no papel do personagem principal; o Oi Game Arena, que contou com a maior tela de games do mundo, com 1.500 m²; e um palco que recebeu campeonatos dos principais games da atualidade.

O Brasil é o 4º maior mercado consumidor de games no mundo, com cerca de 66,3 milhões de gamers. A área de desenvolvimento também tem apresentado crescimento expressivo, saltando de 50 empresas em 2012, para 240 em 2017, ano em que a receita do setor chegou a US$ 1,3 bilhão.

 Fonte: GMB/ The Enemy/ Ministério da Cultura