SEG 20 DE MAIO DE 2019 - 19:25hs.
OPINIÃO - Leo De Biase, CMO da BBL e CEO da ESL Brasil

Brasil: a bola da vez nos e-sports

Não é segredo que o Brasil é a bola da vez na indústria mundial de e-sports, sendo a terceira potência no mundo. O cenário nacional já movimentou US$21 milhões em investimentos no ano passado. Para os próximos três, há a projeção de que o valor praticamente dobre. Discutir sobre os rumos do mercado e quais serão as apostas vencedoras dos próximos 5-10 anos é a principal proposta do Esports BAR Cannes, do qual fui escolhido mentor e membro do board sulamericano, que acontece esta semana na França.

Falando em números globais, em 2018 os esportes eletrônicos conquistaram mais de 395 milhões de pessoas assistindo a conteúdos de gamers profissionais. A projeção é que esse número salte para 580 milhões de espectadores em 2021, quase o dobro em um curto período de tempo. E a explosão do mercado está levando a um turbilhão de transformações.

Esse tipo de material começa a povoar a programação de canais de TV. Gigantes do entretenimento nos procuram para produções de conteúdo proprietário. Clubes desportivos tradicionais, como Corinthians, Flamengo e Santos, são levados a formar equipes competitivas nas principais modalidades. Marcas como NET, Burger King, Gillette e Redbull encontram seu espaço no meio e contribuem com conteúdos diversificados: novos programas, quadros e competições.

O cenário nacional já movimentou US$21 milhões em investimentos no ano passado. Para os próximos três, há a projeção de que o valor praticamente dobre. Discutir sobre os rumos do mercado e quais serão as apostas vencedoras dos próximos 5-10 anos é de extrema importância para fomentar novas oportunidades e concretizarmos esta previsão.

Essa é a principal proposta do Esports BAR Cannes - do qual fui escolhido mentor e membro do board sulamericano -, que acontece esta semana na França. Considerada a maior rodada de negócios do ramo competitivo eletrônico do mundo, que apresenta o mercado para investidores, ela une mais de 600 empresários e mentores de 40 países, tanto do mercado não endêmico como dos e-sports, para debater tendências e apresentar visões inovadoras de como expandir a indústria.

Com todas as mudanças no panorama em 2018, e pelo potencial latente do público brasileiro - fiel e apaixonado, que consome produtos e serviços relacionados a e-Sports diariamente -, nossa presença é mais que exigida em eventos de renome mundial. Por isso, o convite para que eu palestrasse nesse acontecimento foi mais que natural.

Mostraremos que os primeiros passos foram dados e estamos na direção certa. Temos a possibilidade de captar novos e maiores investimentos, aumentando consequentemente a receita gerada e desenvolvendo o mercado. Há um mar de possibilidades a ser explorado. O desafio está em identificá-las e traçar as estratégias adequadas para o máximo aproveitamento de seus potenciais.

Leo De Biase

Leo De Biase e CMO da BBL e CEO da ESL Brasil. Léo possui 20 anos de experiência nas áreas de games, esports e tecnologia; e tem a missão de fortalecer o mercado nacional. O executivo ainda teve quatro anos de vivência pela NVIDIA, além de trazer bagagem de grandes empresas do setor, como Bigpoint e Level Up! Games. Ex-jogador profissional de CS 1.6, Leo foi pioneiro no segmento de “Lan Houses” no Brasil.

Fonte: Exclusivo GMB