DOM 5 DE JULIO DE 2020 - 00:28hs.
Daniel Cossi

Presidente da Confederação Brasileira de eSports prevê 2020 como ano decisivo para o Brasil

Daniel Cossi, Presidente da Confederação Brasileira de Desporto Eletrônico (CBDEL), declarou em entrevista ao jornal O Popular acreditar que 2020 será um ano decisivo para os cassinos, jogos online e eSports no Brasil. Para ele, este é um ano em que tudo pode acontecer devido aos recentes avanços na gestão e modelo de negócios dessas áreas.

O cenário animador enxergado por Daniel também é resultado de anos de discussões sobre o tema, tanto no âmbito político quanto no empresarial. Prova disso são os intensos debates gerados em torno do universo das apostas desde a promulgação da Lei 13.756/18, que basicamente legaliza as apostas esportivas no Brasil e que agora caminha em direção a sua regulamentação.

Sobre isso, também é importante apontar que, mesmo sem a regulamentação, o mercado de apostas esportivas cresceu exponencialmente no país em 2019, suscitando também a necessidade de plataformas analíticas que busquem aprimorar a experiência dos usuários.

São exemplos como este que, para Daniel, provam que 2019 foi um excelente propulsor para uma expansão desses nichos em 2020.

“Creio que levando em consideração todo o cenário político, que […] move as regulamentações e legislações das quais somos dependentes 100%, as conversas, tratativas e definições foram rápidas, e isso nos mostra muitas coisas positivas, especialmente no que diz respeito a colocar isso para ser realizado na prática e sair do meio das negociações e ideias”, declarou.

Tais modificações, segundo ele, ajudam a consolidar o Brasil como um dos principais países no cenário dos jogos online, cassinos e eSports do mundo, gerando o contexto perfeito para investimentos e criação de novos negócios na área.

“Um dos maiores mercados, senão o maior, que já lidera a emergência do mercado de jogos online, cassinos e eSports do mundo. Aqueles que estiverem em congruência e participando desse mercado emergente de qualquer maneira, seja ativamente no networking e promovendo oportunidades de negócios e atividades afins, seja na regulamentação e legislação certamente terá grande share de possibilidades de negócios e outras oportunidades inerentes a esse vanguardismo”, concluiu Daniel.

Destaque para os eSports

Dentre os nichos citados por Daniel em sua entrevista, é provável que o universo dos eSports seja o que mais cresça em 2020. Isso deve ocorrer, explicou o presidente da CBDEL, porque a regulamentação dessa área está sendo feita, em especial, com o foco nos atletas e não no mercado.

Dentre as transformações esperadas para este ano, é possível mencionar uma maior democratização dos esportes eletrônicos, resultado do sucesso de games mobile, como o Free Fire. Com isso, esses jogos também começam a ingressar no cenário competitivo, o que promete ser um verdadeiro divisor de águas para a modalidade.

Essa expansão também deve atingir de maneira particular o público feminino, que mesmo se igualando a audiência masculina, ainda não se encontra tão representado em campeonatos profissionais. Além disso, a experiência de mulheres continua a ser prejudicada pelo machismo.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, 100% das mulheres que jogam pelo menos 22 horas por semana relataram já terem sofrido algum tipo de assédio. Essas experiências, inclusive, fazem com que garotas sejam mais propensas a apresentar sintomas de depressão que garotos.

Pensando nisso, já existem campanhas com o intuito de transformar essa realidade. Um exemplo é a iniciativa #MyGameMyName. Nela, jogadores homens são desafiados a disputar partidas com nomes femininos a fim de que eles percebam com mais clareza o problema e sintam na pele os abusos que as mulheres sofrem diariamente.

Fonte: GMB/ O Popular