DOM 21 DE ABRIL DE 2024 - 05:55hs.
Carlos Gama, VP Games e eSports, Assespro/RJ

Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports no Brasil: os impactos locais de um mercado global

O diálogo aberto e contínuo com os principais atores dos eSports é crucial para um plano nacional eficaz para o desenvolvimento dos esportes eletrônicos. Essa é a análise de Carlos Gama, VP Games e eSports da Assespro/RJ, que defende a elaboração de projetos de curto e médio prazo bem como medidas de transparência e integridade na gestão esportiva, para contribuir com o crescimento da atividade no Brasil. Para ele, todas as esferas de poder também devem se envolver no debate.

O diálogo aberto e constante com os principais envolvidos no cenário dos esportes eletrônicos é fundamental para o desenvolvimento de um plano nacional eficiente e bem-sucedido. Publishers, atletas, organizações de esportes eletrônicos, ligas, plataformas, confederações e federações e empresas privadas desempenham papéis essenciais na promoção e crescimento deste setor, e sua participação ativa na elaboração e implementação de políticas e estratégias é crucial para garantir o progresso e a sustentabilidade dos eSports no Brasil.

Ao estabelecer um diálogo aberto com esses atores-chave, é possível identificar e resolver questões fundamentais, como regulamentação, apoio financeiro, infraestrutura, formação de atletas e profissionais, e a criação de um ambiente juridicamente seguro e propício para o desenvolvimento da indústria de esportes eletrônicos.

Além disso, a colaboração entre o Poder Executivo e Legislativo na esfera Municipal, Estadual e Federal é essencial para a implementação de medidas e políticas públicas que incentivem a prática dos eSports e promovam seu reconhecimento como atividade legítima e relevante no cenário esportivo nacional.

Um Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports deve ser construído de forma participativa e inclusiva, levando em consideração as diferentes perspectivas e interesses dos diversos segmentos envolvidos. Ao promover o diálogo aberto e a cooperação entre os diferentes atores do ecossistema dos esportes eletrônicos, é possível criar um ambiente favorável ao crescimento e fortalecimento desta indústria inovadora e em constante evolução.

 



Como iniciar o debate e a discussão

Para a elaboração de um Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports no Brasil, é importante utilizar uma série de ferramentas e recursos que ajudem a mapear, planejar e implementar as ações necessárias para o crescimento sustentável e organizado desta indústria. Algumas ferramentas chave que podem auxiliar neste processo incluem:

1. Pesquisas e estudos de mercado: Realizar pesquisas e estudos de mercado para entender o panorama atual dos eSports no Brasil, identificar tendências, demandas, desafios e oportunidades de crescimento.

2. Consultas públicas: Realizar consultas públicas com os diferentes atores envolvidos nos eSports para colher informações, sugestões e feedback sobre as medidas necessárias para o desenvolvimento do setor.

3. Benchmarking internacional: Analisar e se inspirar em iniciativas bem-sucedidas de outros países no desenvolvimento dos eSports, adaptando e aplicando as boas práticas ao contexto brasileiro.

4. Grupos de trabalho: Criar grupos de trabalho com representantes dos publishers, atletas, organizações de esportes eletrônicos, ligas, plataformas, confederações e federações, bem como do Poder Executivo - Ministério do Esporte e Secretarias Municipais e Estaduais de Esporte e Lazer e Poder Legislativo - Câmara dos Deputados (Comissão do Esporte: Subcomissão Especial dos Esportes Eletrônicos e Frente Parlamentar em Prol aos Esportes Eletrônicos e Games) Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais, para debater e elaborar propostas concretas com impacto local para o plano nacional.

5. Audiências públicas: Realizar audiências públicas para discutir e apresentar o plano nacional de desenvolvimento dos eSports, envolvendo especialistas, entidades do setor, autoridades governamentais e a sociedade civil.

6. Parcerias público-privadas: Estabelecer parcerias estratégicas entre o governo, empresas privadas e organizações do setor para viabilizar a implementação das ações previstas no plano.

Com o uso adequado destas ferramentas e recursos, é possível iniciar o debate e a discussão sobre a elaboração de um Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports no Brasil que seja eficaz, abrangente e capaz de impulsionar o crescimento e a profissionalização dos eSports no país.

Objetivos de curto, médio e longo prazo

O Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports deve estabelecer objetivos claros e alcançáveis em curto, médio e longo prazo para impulsionar o crescimento e a profissionalização dos eSports nos municípios do Brasil. Algumas metas que podem ser consideradas para cada um desses períodos são:

Curto Prazo (até 2 anos):

1. Criação de programas de incentivo e formação de atletas de eSports nas escolas municipais, com a implementação de torneios escolares e atividades relacionadas ao setor.

2. Estímulo à criação de arenas de eSports em espaços públicos, promovendo eventos e competições locais.

3. Desenvolvimento de cursos e capacitações para profissionais do setor, visando a qualificação da mão de obra e a geração de empregos.

4. Estabelecimento de parcerias com empresas e organizações locais para fomentar o ecossistema dos eSports no município.

Médio Prazo (de 2 a 5 anos):

1. Criação de centros de excelência em eSports, com infraestrutura adequada para treinamento de atletas, realização de competições de alto nível e desenvolvimento de pesquisas na área.

2. Implementação de políticas de incentivo fiscal para empresas do setor de eSports, visando estimular investimentos e a criação de novas oportunidades de negócio.

3. Ampliação da oferta de cursos técnicos e superiores voltados para os eSports, promovendo a formação de profissionais qualificados e especializados no setor.

4. Fortalecimento de parcerias com ligas e federações nacionais e internacionais, visando a inserção dos municípios brasileiros no cenário global dos eSports.

Longo Prazo (de 5 a 8 anos):

1. Consolidação dos municípios brasileiros como referência internacional em eSports, com a realização de grandes eventos, competições e conferências no setor.

2. Criação de políticas públicas específicas para os eSports, garantindo a sustentabilidade e o desenvolvimento contínuo do setor nos municípios.

3. Inclusão dos eSports no calendário esportivo oficial dos municípios, com reconhecimento e apoio institucional às competições e atletas.

4. Estímulo à internacionalização dos eSports brasileiros, com intercâmbio e participação em eventos e ligas internacionais, fortalecendo a imagem do país no cenário global dos eSports.

Com a definição de metas em curto, médio e longo prazo, o Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports poderá orientar as ações e os investimentos necessários para impulsionar o crescimento e a profissionalização dos eSports nos municípios do Brasil.

Transparência e integridade na gestão esportiva

O Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports no Brasil deve abordar temas como compliance, governança esportiva e transparência nos casos de recursos públicos de forma rigorosa e transparente, visando garantir a integridade e a sustentabilidade do setor de eSports no país. Algumas medidas e diretrizes que podem ser adotadas incluem:

1. Implementação de mecanismos de controle e fiscalização dos recursos públicos destinados aos eSports, garantindo a transparência na aplicação dos mesmos e evitando desvios ou irregularidades.

2. Estabelecimento de normas e políticas de compliance para as organizações, ligas e federações de eSports, com regras claras e procedimentos padronizados para garantir a conformidade com a legislação e boas práticas.

3. Adoção de práticas de governança corporativa nas entidades esportivas, com a criação de conselhos de administração, comitês de ética e compliance, e mecanismos de prestação de contas e transparência na gestão.

4. Realização de auditorias internas e externas periódicas para avaliar a conformidade das entidades esportivas com as normas e diretrizes estabelecidas, garantindo a lisura e a eficiência na utilização dos recursos públicos.

5. Capacitação e treinamento dos gestores e responsáveis pelas entidades esportivas, visando disseminar a cultura de compliance e transparência e fortalecer as práticas de governança no setor de eSports.

Ao incorporar essas diretrizes e medidas de controle no Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports, o Brasil poderá assegurar a integridade e a credibilidade do setor de eSports, bem como promover a profissionalização e o desenvolvimento sustentável da indústria no país. Além disso, a transparência e a boa governança contribuirão para a construção de uma imagem positiva dos eSports junto à sociedade e aos investidores, estimulando o crescimento e a valorização do setor em nível nacional e internacional.

Sistema Esportivo Nacional para os esportes eletrônicos

Para estabelecer um Sistema Esportivo Nacional para os eSports, o Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports deve contemplar algumas diretrizes importantes:

Primeiramente, é fundamental que o plano defina de forma clara e específica as responsabilidades de cada esfera de governo (Municipal, Estadual e Federal) no planejamento e aplicação dos recursos públicos destinados aos eSports.

Isso inclui a criação de programas e projetos que promovam a prática dos eSports nas escolas, universidades, clubes e organizações de eSports e nas comunidades games, bem como o suporte e fortalecimento de ligas e competições em diversos níveis de profissionalização. Ações que vão diminuir a duplicação de projeto, aumentar a qualidade e eficiência das iniciativas e promover o monitoramento e possíveis ajustes.

Além disso, é importante estabelecer mecanismos de articulação e cooperação entre os diferentes níveis de governo, de forma a garantir a integração e complementaridade das ações voltadas para os eSports. Isso pode incluir a criação de um conselho nacional de eSports, composto por representantes de todas as esferas de governo e da sociedade civil, que possa orientar e monitorar a implementação das políticas públicas na área.

Outro ponto relevante é a necessidade de investimentos em infraestrutura e formação de recursos humanos qualificados para atuar no campo dos eSports, garantindo assim a sustentabilidade e o desenvolvimento da modalidade no país. Isso inclui a criação de centros de treinamento e formação de atletas, a promoção de cursos e capacitações para treinadores e gestores de equipes, e o estímulo à pesquisa e inovação no setor.

Por fim, é essencial que o Plano Nacional de Desenvolvimento dos eSports esteja alinhado com as diretrizes do Plano Nacional do Desporto e da Educação Física, de forma a garantir a integração e promoção dos eSports como uma modalidade esportiva reconhecida e valorizada no contexto nacional. A cooperação e o diálogo entre as diferentes esferas de governo, as instituições de ensino, as entidades nacionais de administração do desporto brasileiro e a sociedade civil são fundamentais para o sucesso e a sustentabilidade do Sistema Esportivo Nacional para os eSports.

Vamos ao debate!

Carlos Gama
VP Games e eSports, Assespro/RJ (Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (ASSESPRO)