JUE 25 DE JULIO DE 2024 - 09:13hs.
Carla Dualib, regional business development manager

“SOFTSWISS está revendo processos no Brasil para receber a bandeirada em primeiro lugar”

A SOFTSWISS tem se mostrado cada vez mais atenta aos rumos do mercado brasileiro de apostas esportivas e jogo online. Agora com Rubens Barrichello como diretor não executivo, a empresa tem buscado ainda mais a tropicalização de suas soluções para o país. Em entrevista exclusiva ao GMB, a regional business development manager Carla Dualib afirma que “estamos revendo processo para adequar tudo ao Brasil e queremos receber a bandeirada em primeiro lugar”.

 

Games Magazine Brasil - O governo brasileiro recentemente soltou a portaria que apresenta para as casas de apostas os regramentos para que eles se habilitem. Como estão se movimentando os operadores que utilizam a SOFTSWISS Casino Plataform?
Carla Dualib -
Os operadores estão caminhando a passos largos. É preciso, nesse momento. Sabemos que esses próximos 90 dias serão fundamentais para a aplicação da licença brasileira. Então, nossos operadores estão trabalhando bastante e esperamos que em breve tenham aplicado a licença. Não só os operadores que trabalham conosco, mas muitos que estão por vir e com quem estamos em processo de negociação. Esperamos que a nossa base se amplie bastante nos próximos meses.

A GLI foi o primeiro laboratório a receber autorização da Secretaria de Prêmios e Apostas para fazer os testes e certificações e vocês são parceiros deles. Isso significa que a plataforma da SOFTSWISS está pronta para o mercado brasileiro?
Sem dúvida, estamos prontos e em conformidade com a GLI. Então, os próximos passos para a SOFTSWISS é aguardar a portaria que defina o que temos de fazer em termos de processo, mas estamos em conformidade, sem dúvida.

O fato de vocês serem uma empresa global facilita muito pois a maioria dos requisitos técnicos já são cumpridos?
Isso mesmo, todos eles já são cumpridos. É só ouvir quais são as especificidades para o mercado brasileiro para seguir em frente.

Por falar em mercado brasileiro, ter o Rubens Barrichello como um diretor não executivo da SOFTSWISS. O que ele pode agregar para trazer novos operadores para a empresa?
Ele agrega demais como diretor não executivo. Estamos muito felizes em tê-lo em nosso time. Ele agrega muito do ponto de vista técnico, de inovação e tecnologia. As contribuições têm sido imensas. As reuniões intensas e a parceria que ele tem feito conosco tem sido e será ainda mais frutífera junto dos nossos parceiros.

Com a regulamentação em fase final, quais são os próximos passos da SOFTSWISS?
Cada vez nos consolidarmos mais no mercado brasileiro. Como eu sempre reitero, a tropicalização é fundamental e necessária. Os processos estão sendo sempre revistos e mais uma vez, com a ajuda do Rubinho e do time local, temos revisado processos e verificando o que precisamos fazer para melhor atender o mercado brasileiro. E é o que a SOFTSWISS faz de melhor. Temos a melhor tecnologia, inovamos sempre, com um grande time, os melhores desenvolvedores e a melhor tecnologia. É isso o que oferecemos ao mercado brasileiro e agora mais do que nunca. A tecnologia vai ser um dos grandes diferenciais nesse contexto.

Além de tudo isso, vocês ainda têm um piloto para dirigir o processo?
Com certeza temos o melhor piloto conosco. Vamos voar nessas curvas do mercado brasileiro para chegar à bandeirada em primeiro lugar.

Fonte: Exclusivo GMB