DOM 18 DE AGOSTO DE 2019 - 11:55hs.
ICE VOX em Londres

Brasil pretende regular as apostas esportivas este ano e outorgar licenças em 2020

Durante a abertura do ciclo de conferências ICE VOX e em conversa de perguntas e respostas com empresas de todo o mundo, os reguladores brasileiros do Ministério da Economia frisaram que esperam acabar até março o processo da Lotex, colocá-lo em prática e então focar na medida regulatória das apostas esportivas neste ano para no primeiro semestre de 2020 já ter o início dos processos de concessão ou licenças.

Na manhã desta segunda a ICE VOX promoveu uma mesa redonda para debater sobre o jogo no Brasil onde participaram do bate papo com empresários, os técnicos da SEFEL, Itamar Pereira (Gerente Técnico) e Waldir Marques Jr., (Coordenador Geral de Prêmios e Sorteios), junto com o advogado Luiz Felipe Maia (sócio fundador do escritório FYMSA).

A mesa redonda foi uma conversa de perguntas e respostas onde os técnicos da SEFEL revelaram que no primeiro semestre do próximo ano já pretendem iníciar os processos de concessão ou licenças das apostas esportivas, após finalizar uma correta reglamentação do novo mercado ainda em 2019.

Para chegar a esse resultado, os reguladores brasileiros afirmaram que agora estão buscando experiências na feira e ao redor do mundo para a melhor regulamentação.

A participação brasileira no dia de ICE VOX continuou com a presença do secretário da SEFEL, Alexandre Manoel, no painel “Criando um mercado sustentável de apostas esportivas; políticas e considerações para novas jurisdições reguladoras” que foi moderado por Rob Heller, CEO da Spectrum Gaming Capital; com Jaime Irizarry, diretor de jogos de azar da Empresa Turismo Puerto Rico; Nick Nocton, sócio da Mishcon de Reya e Sebastian Vivot, CTO da Lotba Buenos Aires.

O painel começou com o tópico chave “EUA e Brasil - dois grandes e promissores mercados próximos a regulamentação” onde Manoel tomou a palavra para explicar algumas coisas sobre os processos do que agora está legalizado.

O secretário voltou a afirmar que o Brasil busca as melhores experiencias do mundo para chegar ao exito e afirmou que a principal questão/problema que tem aparecido é em relação a confiança do país em poder conceder os jogos as empresas privadas, o que será testado agora com a Lotex, por exemplo.

Sebastian Vivot, CTO da Lotba Buenos Aires, também falou no painel e revelou que no país estão trabalhando na regulamentação por províncias, porém, não de maneira única e federal.

A equipe responsável pelo maior evento de tecnologia de jogos do mundo, a ICE London, promove a ICE VOX, a marca educacional e de troca de conhecimento da indústria de jogos. É o único evento que ocorre na ICE, que oferece o conhecimento de especialistas do setor (e também de fora), que podem ser usados para gerar valor imediato e resultados para o seu negócio.

Além do Brasil, o ciclo The Hive contará com mesas redondas sobre países dos cinco continentes com destaque para os debates sobre os IR's no Japão e as apostas esportivas nos Estados Unidos. Os outros ciclos da ICE VOX são Consuel, Boardroom e Elevator.

A ICE VOX, que substituiu a ICE Conferences, compreende 9 painéis de programas pagos e de networking que acontecem no ExCeL London, Reino Unido, de segunda-feira (4) a quarta-feira (6).

Fonte: GMB