SEG 10 DE DEZEMBRO DE 2018 - 07:45hs.
OGS Brazil 2018

“Uma média mensal de 50 milhões de pessoas procura apostas e resultados online”

O Superintendente Nacional de Loterias, Gilson Braga abriu o segundo dia do OGS falando como a loteria pode servir de exemplo para a regulamentação de outros jogos on-line. Durante a fala defendeu o mercado e principalmente a importante função social que a arrecadação do jogo tem para diferentes projetos no Brasil.

Braga começou sua fala com o cenário de crise brasileira. Com uma linha do tempo da arrecadação da loteria nos últimos cinco anos, ele mostrou que houve uma queda em 2016 que vem sendo recuperada.

O Superintendente defendeu e falou das dificuldades de colocar o Brasil no patamar de competitividade do payout mundia: “É difícil porque você tem que pensar em entregar para o cliente o produto, ou seja, o dinheiro para que ele volte a apostar e para fazer crescer o mercado”. Nesse sentido, Braga cita a Mega da Virada como um importante produto para a reecadação, já que traz mídia e gera forte expectativa também.
 


Em toda a sua fala ao OGS, Braga reforçou que a “razão de existir da loteria são os repasses sociais importantes ao Brasil e é para isso que trabalhamos. A loteria ajuda em políticas de educação, segurança, agora tão evidente após a eleição e outros tantos programas sociais”.

A questão da concorrência com o mercado ilegal também foi pauta da fala de Braga. “Aqui no Brasil temos a concorrência de vários jogos ilegais, a imigração do cliente é natural, porque manter o cliente nessa regulamentação é difícil. A Caixa vai trabalhar sempre desenvolvendo produtos e buscar o aumento da arrecadação, por meio de canais, produtos e o que há de interessante para atrair”, completou.

On-line X compra física

O Superintendente da Caixa afirmou que têm sido feitos importantes esforços para criar novos canais e ferramentas para otimizar o sistema de loterias e também atrair novo público e ter uma gama maior de produtos.
 


Para ele a aposta física é ainda muito importante no Brasil e é tida como o ponto de partida nas loterias da Caixa, mas com a entrada no on-line, eles têm conseguido um novo público mais jovem. Se o público físico é de pessoas acima de 45 anos, na internet é o oposto.

Braga diz ainda que o site da loteria tem uma média de 50 milhões de acesso mensal, com pessoas buscando apostas e resultados. “Tem um público esperando a aposta esportiva on-line e vimos isso ao entrar no mercado. Queremos crescer nesse mercado e agregar ao físico já consolidado no Brasil, mas que tem um público diferente”, finalizou.

Fonte: GMB

Galería de fotos