TER 18 DE FEVEREIRO DE 2020 - 16:05hs.
OGS 2019 - Operações do jogo online & terrestre

“No Brasil, há carência de regulamentação para garantir altas cifras em impostos”

Mauro De Fabritiis, fundador da MDF Partners, apresentou aos participantes sua experiência em três segmentos importantes: jogo online, físico e pôquer. Ele mostrou exemplos da Dinamarca, Itália e França, onde os primeiros jogos foram regulados para operações físicas. “Antes de 2000, até aproximadamente 2005, foi a experiência com operações físicas, passando ao jogo de pôquer e cassinos. Agora, na última fase de um processo, que estamos vivendo neste momento, é a regulação e consolidação do jogo online”.

De acordo com o executivo, as loterias estão bem consolidadas, enquanto o pôquer tem caído um pouco, mas o que se percebe neste momento são os jogos de cassino. “No caso da América Latina, podemos citar exemplos de sucesso da Colômbia e do Peru, o que pode dar ao Brasil uma oportunidade de seguir bons caminhos para uma regulamentação positiva para o país”, disse.

“No Brasil, as loterias são regulamentadas, mas há carência de regulação para várias atividades de jogos para garantir altas cifras em impostos”. Mesmo com uma lei aprovada, a regulamentação ainda não colocou as apostas esportivas em operação. Há US$ 7,5 bilhões para a operação do mercado de jogos online no Brasil. Se falarmos nos cassinos, esses valores serão incrivelmente maiores”, afirmou.

Para De Fabritiis, o jogo ilegal tende a morrer com a regulamentação de todas as atividades de jogos, que terão uma força incrível, já que se trata de um país com mais de 200 milhões de habitantes. “O ecossistema será perfeito com uma regulamentação adequada, operações bem desenvolvidas, ofertas de jogos adequadas, bom controle e um trabalho sustentável para o jogo responsável, assim como um modelo competitivo entre todos os envolvidos.”

Com um conjunto de medidas bem estabelecidas, de acordo com ele, será possível reduzir ao máximo o jogo ilegal e fortalecer uma atividade séria e geradora de impostos e empregos, que é o que o Brasil precisa. “O país pode alcançar, no início da regulamentação, algo em torno de US$ 1,5 bilhão em negócios com o jogo online, desde que se defina de maneira correta a taxação para a atividade”.

 

 

O mesmo, de acordo com o executivo, pode acontecer com a regulamentação de outras modalidades, como cassinos terrestres, que complementam a oferta, o que pode gerar investimentos enormes se o país decidir debater e aprovar uma lei mais ampla. “Quanto mais bem regulamentado um mercado completo de jogos, menor será a operação ilegal e mais riqueza será gerada para a economia. Isso deve ser levado em conta por autoridades brasileiras especialmente no caso da taxação. Os impostos não podem inviabilizar a atividade, sob pena de levá-la – ou mantê-la – na ilegalidade.”

Para a operação online, Mauro De Fabritiis sugere que o modelo de tributação tem de ser fixado de antemão, para que os operadores se posicionem quanto ao tipo de operação. “É muito difícil entrar em um mercado sem uma estratégia que contemple todos os aspectos de uma operação sustentável e interessante, tanto para o operador quanto para o país em si”.

Sobre as ações terrestres, cada operador tem de entender muito bem a questão da tributação, pontos a serem escolhidos e investimentos a serem feitos para o início da operação. “Não basta ter uma licença e sair abrindo salas. É preciso planejamento e muito foco para um negócio de sucesso”, comentou De Fabritiis.

“Há ainda o modelo multicanal, com operação online em conjunto com salas físicas. Essa alternativa, também prevista na futura regulamentação, pode levar o operador a ter margem negativa, já que as taxações são o ponto de equilíbrio para um negócio multicanal, mas existem outras despesas não previstas que não existem num negócio apenas online”, disse.

“É possível regular o setor, mas o ecossistema precisa entender que não pode desperdiçar a oportunidade de discutir ao máximo todas as questões relativas a essa regulamentação para que o setor se desenvolva de maneira adequada no Brasil”, encerrou.

Fonte: GMB