SEG 10 DE DEZEMBRO DE 2018 - 07:12hs.
Deputado Federal Marcelo Álvaro Antonio

Para o novo ministro do turismo a legalização dos jogos de azar ainda deve ser estudada

O deputado Onyx Lorenzoni, futuro ministro da Casa Civil, anunciou o deputado federal Marcelo Álvaro Antonio, do PSL mineiro, como o novo ministro do Turismo. “Com relação aos jogos de azar, tenho minhas reservas. Acho que o tema precisa ser estudado e discutido mas se um PL surgir sobre isto, garantias e controles que impeçam a lavagem de dinheiro nestas casas devem ser estabelecidas”, declarou recentemente o futuro ministro em sua conta oficial no twitter.

Marcelo Álvaro Antonio é o segundo nome do partido do futuro presidente Jair Bolsonaro que é confirmado para uma pasta. Gustavo Bebianno, ex-presidente do partido, será ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República. 

Há duas semanas, o deputado foi consultado por um usuário em sua conta oficial no twitter sobre se ele tem interesse de recolocar em pauta e evidência a questão dos jogos. “Com relação aos jogos de azar, tenho minhas reservas. Acho que o tema precisa ser estudado e discutido. Não acho que seja prioridade para o país, mas se um PL surgir sobre isto, garantias e controles que impeçam a lavagem de dinheiro nestas casas devem ser estabelecidas”, essa foi a resposta de Marcelo Álvaro Antonio.

Depois do anúncio, o futuro ministro deu entrevista coletiva e disse que vai brigar para que a Pasta tenha um orçamento importante. "Vou brigar sim para que o ministério possa ter um orçamento importante, tendo em vista que o turismo vai participar efetivamente desse momento de resgate, de recolocar o Brasil na rota do desenvolvimento", disse Álvaro no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), em Brasília, onde o gabinete de transição está instalado. "Essa briga orçamentária já começa agora na CMO (Comissão Mista de Orçamento)", completou.

Marcelo foi reeleito para o cargo de deputado federal na eleição deste ano. Ele está na Câmara desde 2014, onde integrou as comissões de Minas e Energia, Finanças e Tributação, Viação e Transportes, além de comissões externas sobre o Zika vírus e a situação hídrica dos municípios de Minas Gerais. Foi eleito vereador por Belo Horizonte em 2012. O futuro ministro não completou a graduação em Engenharia Civil pela UniBH.

Além de conseguir convencer a equipe de governo do presidente eleito Jair Bolsonaro a não fundir o Ministério do Turismo com outras pastas, a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo, presidida pelo deputado federal Herculano Passos (MDB-SP), foi responsável pela indicação do futuro comandante da pasta.

Fonte GMB