SEX 13 DE DEZEMBRO DE 2019 - 10:05hs.
Coluna de Cláudio Brito na "Gaúcha Hoje"

Bingo e jogos de azar para financiar a Previdência

'Frente de deputados e senadores propõe um dos primeiros conjuntos de alterações à reforma previdenciária. A regularização dos bingos e outros jogos visaria a recolher impostos que financiariam o sistema previdenciário. Sem dúvida, uma boa ideia, a destinação da arrecadação recorrente do jogo legalizado reservaria valores para cobrir os rombos previdenciários que são históricos', comenta o jornalista Cláudio Brito na 'Gaúcha Hoje'.

Confira a coluna completa do jornalista Claudio Brito na rádio Gaucha Hoje:  

Uma boa ideia. Não tenho dúvida de que é uma boa ideia legalizar e regulamentar os jogos de azar, o bingo acima de tudo, mais conhecido, tão preferido pelas senhoras, especialmente, nos clubes, nas sociedades, e também, nos lugares onde, clandestinamente, realiza-se aqui ou ali, a jogatina e vez ou outra uma operação policial vai lá e desbarata. E tudo que sabe de ilegalidade, apesar de no congresso nacional tramitarem muitos e muitos projetos de legalização.

Eu digo que é uma boa ideia porque agora que a reforma da previdência começa a andar na Câmara e mais adiante no Senado, esses projetos do bingo e dos jogos de azar devem vir para a mesma mesa. Alias, a frente parlamentar mista, de senadores e deputados, em favor da previdência, não em favor da reforma proposta por Bolsonaro, mas, em favor da previdência nos melhores padrões que os trabalhadores e as frentes sindicais estão desejando; estes mesmos parlamentares estão propondo que se aproveite a discussão dos jogos e aprovando-os, legalizando-os, que venha junto a destinação de impostos.

A destinação da arrecadação recorrente do jogo legalizado reservaria valores para cobrir os rombos previdenciários que são históricos e tem, quem sabe, muito mais a ver com as dificuldades que o país enfrenta do que propriamente com o que se paga a esse ou aquele aposentado.

Vamos ver de perto essa tramitação. Quem vai chegar à frente? Quem defende o bingo e o jogo de azar para custear a previdência ou aqueles que querem, pura e simplesmente, encaminhar a proposta de Bolsonaro e aprová-la por inteiro? Vamos ver. O congresso nacional é quem vai ter que falar.

Fonte: GMB / Gaúcha Hoje