SEG 19 DE AGOSTO DE 2019 - 01:23hs.
O presidente da Câmara propõe debater

Rodrigo Maia volta a apoiar a legalização de cassinos em resorts separado dos bingos

Pela primeira vez desde que foi reeleito como presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia se expressou a respeito da legalização do jogo. Em entrevista ao 'Valor', ele propõe uma vez mais permitir cassinos em resorts, separado de bingos e maquininhas. “Nos resorts é mais fácil de fiscalizar, gera emprego, dobra os estrangeiros no Brasil e atrai R$ 20 bilhões em arrecadação”, assegura Maia.

Consultado sobre qual seria a pauta no plenário votar a Reforma da Previdência , em junho, Rodrigo Maia incluiu a legalização dos cassinos. “Tem debates, como os cassinos vinculados a rede hoteleira, separar isso do bingo e maquininhas. Nos resorts é mais fácil de fiscalizar, gera emprego, dobra os estrangeiros no Brasil e atrai R$ 20 bilhões em arrecadação”.

Recentemente e em sintonia com o que pretende Maia, um novo projeto de autoria do deputado Paulo Azi (DEM-BA), o PL 530/19, que trata da instalação de cassinos resorts no Brasil, foi apensado ao PL 442/91 pela mesa ditetora da Câmara dos Deputados. Os parlamentares decidiram anexar a proposta de Azi ao projeto que trata do mesmo assunto e está em tramitação há mais tempo na casa.

Em recente entrevista exclusiva ao GMB, o deputado Paulo Azi tratou Maia como um importante apoio. “O presidente Rodrigo Maia é plenamente favorável ao projeto, e sabe da sua grande importância principalmente para o Rio de Janeiro”.

O PL 442/91 é o projeto base para o Marco Regulatório dos Jogos, e o seu relatório, feito pelo Deputado Guilherme Mussi (PP-SP), foi aprovado na Comissão Especial do Marco Regulatório dos Jogos no Brasil em agosto de 2016 e, desde então, espera para ser votado no plenário da casa.

Na mesma entrevista exclusiva ao Valor, Maia, o principal articulador da reforma da Previdência, avalia que a proposta está perdendo a batalha da comunicação. Os grupos de apoio ao presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais estão silenciosos desde que o projeto foi divulgado, enquanto os militantes da oposição batem em dois pontos que ele tinha aconselhado o governo a deixar de fora para não contaminar o debate: a redução no benefício de prestação continuada (BPC) para idosos miseráveis e a aposentadoria do trabalhador rural.

Em 2018, Maia defendeu votar a proposta com mecanismos de “regulação forte” para liberar cassinos no Rio de Janeiro e em São Paulo. Na avaliação dele, não haverá interesse de investidores se a liberação de jogos de azar se restringir a áreas remotas do país. O presidente da Câmara afirmou que a regulamentação dos cassinos é importante para o Rio de Janeiro e para o País, já que poderá gerar empregos e arrecadação para os governos.

“Vamos conversar (com os deputados), alguns políticos pedem o bingo, a maquininha fora dos cassinos. Mas, queremos apresentar (projeto) do cassino”, explicou Maia, o que gerou um mal estar na maioria dos membros da Frente Parlamentar Pro-Jogo que esperavam que o projeto de lei 442/91 que abraça a legalização total de toda a atividade seria levado a votação sem emendas ou recortes.A reeleição de Maia somado ao apoio público que já tem expressados o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o prefeito da capital carioca, Marcelo Crivella, o ministro de turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e o governador de Minas Gerais, Romeu Zema Neto, a iniciativa de aprovar os cassinos em resorts no Brasil parece ser o passo mais próximo que dará o governo de Jair Bolsonaro em referência a legalização do Jogo para gerar recursos econômicos para o país.

De acordo com Maia, estudos mostram que a implantação de cassinos integrados a hotéis pode resultar na criação de 250 mil a 300 mil empregos no País, além de resultar em uma arrecadação de até R$ 25 bilhões para os governos. Ele estima que até 32 cassinos podem ser construídos no Brasil, se o projeto conseguir consenso e for aprovado.

Fonte: GMB / Valor Econômico