JUE 16 DE SEPTIEMBRE DE 2021 - 19:43hs.
Contrário à proposta de legalizar apenas os cassinos

Senador Coronel pede que projeto para liberar todos os jogos no Brasil seja analisado primeiro

O Senador Angelo Coronel (PSD-BA) apresentou questão de ordem junto à Presidência do Senado para promover a inversão de apreciação de projetos de lei na Casa que tratam da regulamentação do jogo no Brasil. Ele pretende que o seu relatório sobre o PL 2648/19 seja apreciado antes do PL 4495/20, do Senador Irajá, para o qual Rodrigo Pacheco indicou como relator de Plenário o Senador Vital do Rego.

Em conversa com o GMB, o Senador Angelo Coronel afirmou ter falado com o Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para que ele coloque em votação o PL apresentado pelo Senador Roberto Rocha (PDSB-MA). “O PL 2648/19, do qual sou relator, prevê a liberação de todas as modalidades de jogos e não apenas cassinos em resorts integrados, como aquele proposto pelo Senador Irajá. O que relatei é muito mais interessante para a entrada de recursos nos cofres da União, tanto pela receita em si quanto pela rapidez com que os recursos chegarão”, diz.

O Senador Angelo Coronel afirmou ser contra o projeto de lei que prevê apenas cassinos em resorts integrados, por deixar à margem do processo as demais verticais da área de jogos. “Sou contra o modelo definido nesse projeto pois ele é muito restritivo e não contempla os diversos segmentos, que em última análise já estão operando no Brasil sem qualquer benefício para a sociedade. Vamos lutar pela aprovação de todas as modalidades”.

Regimentalmente apresentei uma questão de ordem sobre a decisão do Presidente do Senado, já que cronologicamente o primeiro PL a ser apreciado deveria ser aquele do qual sou relator para depois apreciar o do Senador Irajá. O Presidente ainda não me respondeu, mas acredito que irá rever isso e colocar para votação também o nosso”, afirmou Coronel ao GMB.

Mais ainda, o Senador Angelo Coronel informou que já conversou com o Senador Irajá no sentido de buscar a unificação dos dois projetos citados. “Ele se mostrou disposto a que façamos a unificação, deixando para o Plenário decidir se o Brasil terá a legalização dos jogos como um todo ou somente parte. Defenderei que sejam contemplados todos os segmentos, pois irá gerar mais receita para a União”.

Sua preocupação, além do aspecto relativo ao total das receitas a serem geradas, é quanto à demora na implantação de cassinos integrados em resorts. “Um cassino, desde a aprovação até a construção, implantação e ações de marketing para atrair turista, vai demorar muito tempo para começar a gerar receita e ela será pequena. Com as outras modalidades, que já estão rodando, será muito mais efetivo e o dinheiro entrará para os cofres públicos de imediato”, concluiu.

Fonte: Exclusivo GMB