MAR 25 DE ENERO DE 2022 - 01:10hs.
Régis de Oliveira, ex-deputado e desembargador aposentado

“Jogo do bicho e bingo ilegal contribuem para a polícia em vez de pagarem tributo”

Antigo relator de um projeto sobre legalização dos jogos na Câmara, em 2010, o ex-deputado e desembargador aposentado Régis de Oliveira, de São Paulo, tem atuado nos últimos anos a favor da volta da jogatina, mesmo sem mandato. Ele assessora o Instituto Jogo Legal e atua também no Supremo Tribunal Federal (STF) numa discussão sobre a lei de contravenções penais. No “Blog do Noblat” do jornal Metrópoles, ele assegura que há 400 mil operadores do jogo bicho, que funciona com apoio da polícia.

Nessa discussão na Câmara, pela volta dos jogos, Oliveira circula pelo Congresso em defesa do Marco Regulatório do Jogo, que teve sua urgência aprovada em dezembro e pode voltar à pauta neste reinício dos trabalhos. Também ex-vice-prefeito de São Paulo, ele foi filiado ao PSDB, ao antigo PFL, PMN e PSC.

Numa postagem em suas redes, agora em dezembro, ele defendeu a legalização e disse que há no Brasil 400 mil operadores do jogo do bicho, modalidade que, segundo ele, funciona com a conivência da polícia.

O jogo do bicho existe em todos os lugares. Temos 400 mil pessoas que fazem apostas, que são os controladores. Estão na ilegalidade. Tem que fazer acordo com a polícia para não prender. Tem em qualquer boteco em São Paulo, no Rio”, afirma Regis Cavalcanti.

O bingo também. Proibido, mas existe de monte em São Paulo. O cassino também. Tem que legalizar. É necessidade para o país. Contribuem para a polícia em vez de pagarem tributo”, agregou o advogado.

Fonte: Blog do Noblat