JUE 25 DE JULIO DE 2024 - 09:48hs.
Continuam as manobras para não aprovar

Comissão de Segurança Pública do Senado debaterá liberação de cassinos no Brasil

Mais uma vez os parlamentares contrários ao jogo legal no Brasil manobraram no Senado para prorrogar a votação e aprovação do PL que autoriza cassinos, bingos e jogo do bicho no país. A Comissão de Segurança Pública do Senado aprovou, nesta terça-feira (28), a realização de audiência pública para debater os impactos da liberação de jogos de azar na segurança pública.

A reunião atende a requerimento do senador Eduardo Girão (Novo-CE), que é contrário ao jogo legal no Brasil e ao PL 2.234/2022, que libera a exploração de cassinos, bingos, jogo do bicho e apostas turfísticas no país.

No requerimento, as mesmas arguições de sempre, de que a liberação promoveria o aumento de crimes como lavagem de dinheiro, sonegação fiscal e prostituição.

A desinformação – ou o preconceito – é tanto, que o referido seador também questiona a índole dos turistas que podem vir ao Brasil incentivados pelos jogos de azar.

Há uma vasta possibilidade de que a jogatina atraia uma espécie de turismo desqualificado que o Brasil não necessita, que busca as facilidades de uma nação ainda pobre como a nossa, tais como, prostituição, principalmente a infanto-juvenil [...] Os jogos de azar fomentam inúmeros questionamentos que nos leva a crer que haja uma premente necessidade de um debate mais amplo com a sociedade”, diz o senador.

Esse parlamentar, juntamente com outros senadores, defenderam em Plenário recentemente a realização de mais audiências públicas sobre o tema em outras comissões.

O PL 2.234/2022, já aprovado na Câmara dos Deputados no âmbito do Projeto de Lei 442/91, será votado apenas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de ir a Plenário. 

Aguarda-se o agendamento da audiência pública para os próximos dias, já que o PL 2.234/2022 poderá ser colocado em pauta na reunião da CCJ no dia 5 de junho. Como os parlamentares favoráveis ao jogo ilegal deverão pedir vistas, a novela deverá se prolongar por mais algumas semanas.

Fonte: GMB / Agência Senado