MIÉ 15 DE JULIO DE 2020 - 01:14hs.
Decisão do presidente do banco, Pedro Guimarães

Caixa não vai mais patrocinar times de futebol

Pedro Guimarães, novo presidente da Caixa Econômica Federal, decidiu de uma vez por todas: o banco não vai mais patrocinar times de futebol. A medida já havia sido comentada pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes, no começo do mês. Os contratos atuais da Caixa com times serão cumpridos até o final – em março – e não serão renovados.

O impasse sobre o patrocínio da Caixa aos clubes de futebol começou quando, ao dar posse ao novo presidente do banco, Pedro Guimarães, o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou que havia destinos melhores para a Caixa investir em publicidade.

“Às vezes, é possível fazer coisas cem vezes melhores com menos recursos do que gastar com publicidade em times de futebol”, afirmou.

Daí em diante muitas notícias surgiram em torno do assunto. A CBF pediu uma reunião com a ditetoria da Caixa para debater o tema e os clubes começaram fazer contas já dispensando a verba da Caixa.

Durante a revisão dos contratos pela Caixa, também surgiu a notícia de que o governo não gostou do que viu nos negócios fechados pelo banco com os clubes. Segundo informações foi descoberto que haviam muitos “consultores” levando uma parte da grana e alguns clubes não estavam quites com o Fisco.

Já como última cena dessa novela, no último final de semana quando começaram os campeonatos estaduais abrindo a temporada do futebol, nenhum clube entrou em campo com o logo Caixa estampado no uniforme.

A Caixa investiu R$ 191,7 milhões em patrocínios no futebol em 2018. O banco aposta no futebol desde 2012, quando fechou patrocínio com Athletico Paranaense, Avaí e Figueirense. Desde então, a empresa investiu R$ 663,6 milhões em todos os acordos. Atualmente, o banco tinha contrato com 25 clubes.

Além da medida relacionada ao futebol, também está circulando que nem Caixa nem Banco do Brasil estão gastando dinheiro com propaganda este ano.

O presidente Jair Bolsonaro foi ao Twitter falar sobre os cortes:

“O Ministro da Secretaria de Governo, General Santos Cruz, anunciou o fim do contrato de R$30 milhões/ano com assessoria de imprensa internacional. Além disso, zeramos os custos com propaganda da Caixa e BB neste início de governo e pretendemos encerrar de maneira justa e enxuta! Nos governos anteriores, esses gastos ultrapassavam centenas de milhões. Era mais uma das muitas fontes de ações escusas dos grupos que estavam no poder, cuja boa parte dos membros está presa. Uma irresponsabilidade em detrimento das reais demandas dos brasileiros e do Estado!”

Fonte: GMB/ O Antagonista