QUI 21 DE NOVEMBRO DE 2019 - 12:33hs.
Roberto Quattrini, Country Manager Brasil da IGT

“A IGT e a SG estão felizes de operar a LOTEX e em julho de 2020 o público ja poderá jogar"

Roberto Quattrini, diretor e Country Manager Brasil da IGT, e Michael Conforti, Presidente da Global Strategic Accounts da Scientific Games expressaram sua felicidade por obter a concessão da LOTEX. Explicaram que ambas as empresas movem 80% do mercado mundial de loteria instantânea e que se uniram porque o Brasil é um mercado enorme. “Vamos analisar as investimentos que vamos fazer aqui e a ideia é começar a vender em junho o julho de 2020, em pontos lotéricos e não lotéricos”, prometeram.

Depois de duas tentativas frustradas, o governo federal conseguiu realizar a concessão da Lotex, braço de loterias instantâneas da Caixa   Econômica Federal, conhecida como raspadinha. O grupo vencedor foi o Consórcio Estrela Instantânea, o único a apresentar proposta, que ofereceu R$ 96,6 milhões pela parcela inicial de outorga.

O Country Manager Brasil da IGT, Roberto Quattrini, deu declarações sobre como será o seu gerenciamento. “Estamos muito felizes pelo convite do Governo Brasileiro e por ter conseguido manter essa concessão. Nosso consórcio está conformado pelas empresas IGT e Scientific Games, com 50% cada uma”.

IGT e Scientific Games são as duas maiores companhia de loteria de mundo e ambas estão listada na Bolsa de Nova York. “O mercado total de Loteria Instantânea no mundo move 80 bilhões de dólares por ano”, revela o Country Manager Brasil da IGT. De acordo com o Quattrini, juntos eles gerenciam mais de 80% desse setor.

Já em relação ao plano de negócio, eles preferiram manter o segredo. Afirmaram que as contas feitas pelo BNDES batem com as suas. “Nosso plano de negócio não pode ser divulgado agora. Mas acreditamos que no final do plano de 15 anos proposto pelo Governo, o Brasil ganhará cerca de 19 bilhões de reais”, explica. Quattrini disse ainda que o dinheiro economizado na outorga "será logo investido no produto”.

"O valor da outorga não é o mais importante. Cada centavo que as duas empresas economizaram na outorga será revertido em investimentos. As duas se juntaram no Brasil porque o país tem grandes dimensões", disse a jornalistas. O grupo, porém, não divulga o valor dos aportes que pretende fazer.

Segundo ele, a previsão de faturamento total com a operação supera os R$ 112 bilhões. A arrecadação máxima por ano quando a Caixa oferecia o produto foi de R$ 215 milhões, diz Quattrini.

“Os cálculos que fizemos indicam que a faturação será de 112 bilhões de venda total em 15 anos. Agora que ganhamos vamos a avançar com os investimentos em escritório e outros temas aqui no Brasil. Já temos pensado, mas agora é momento de analisar melhor e levar adiante”, contou Quattrini.

As duas empresas se juntaram porque “o Brasil não é um país fácil. São 26 estados e uma dimensão enorme”, segundo ele. Na Itália, ambos vendem loteria instantânea por 45 bilhões de reais por ano, e é um mercado muito menor em quantidade de gente. As duas companhias têm jogo e mecânica inovadora, com sistema de impressão antifraude, marcas já registradas.

“O público poderá comprar as “raspadinhas” nos pontos de venda de lotérica e não lotérica 6 meses depois da homologação do contrato, ou seja, em junho o julho de 2020”, promete.

Fonte: Exclusivo Games Magazine Brasil