SÁB 7 DE DEZEMBRO DE 2019 - 13:06hs.
Repasse do banco

Caixa gasta R$ 1,1 bilhão em patrocínio de esportes

Depois que a parceria financeira com clubes de futebol foi suspensa, os valores gastos pela Caixa com essa e outras modalidades esportivas viraram notícia. Segundo informações abertas da LAI (Lei de Acesso à Informação), o banco público destina a soma de 1,1 bilhão para o esporte. Com futebol, desde 2012, quando se tornou grande apoiador financeiro, o banco investiu o total de R$ 763,5 milhões.

A Caixa Econômica Federal investiu R$ 763,5 milhões em futebol desde que iniciou os investimentos na modalidade, em 2012. O valor corresponde a 69,5% dos patrocínios destinados a clubes e projetos esportivos feitos pelo banco cuja soma chega a R$ 1,1 bilhão.

Os clubes foram os maiores beneficiados: 35 receberam R$ 665 milhões da estatal no período. As informações foram obtidas pelo Poder360 via LAI (Lei de Acesso à Informação).

As agremiações cujos contratos somam os maiores valores são, respectivamente, Flamengo (R$ 141 milhões), Corinthians (R$ 121 milhões) e Vasco (R$ 50 milhões). Dos clubes já atendidos –veja tabela abaixo– apenas Sport e Botafogo têm contratos em andamento em 2019.

Em relação a campeonatos de futebol, R$ 97,8 milhões patrocinaram 11 competições regionais, 2 nacionais (campeonato brasileiro séries B e C e campeonato Brasileiro feminino) e uma internacional (Torneio Internacional de Seleções Feminino) no período.

Além desses investimentos, a estatal tem aprovado o orçamento de R$ 538,5 milhões para comitês e confederações –o valor está além dos R$ 1,1 bilhão. São elas: Comitê Paraolímpico Brasileiro (R$ 244 milhões); Confederação Brasileira de Atletismo (R$ 194,5 milhões); Confederação Brasileira de Ginástica (R$ 69 milhões); Confederação Brasileira de Ciclismo (R$ 17 milhões) e Confederação Brasileira de Lutas Associadas (R$ 13,95 milhões).

Os patrocínios esportivos feitos pela Caixa já foram alvo de questionamentos pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e do novo presidente do banco, Pedro Guimarães. Na cerimônia de transmissão de cargo, Guimarães afirmou que lançará 1 programa de controle de custos, “seja em compras ou programas com patrocínio” e que a ação “é uma determinação do presidente da República e do ministro”.

Banco não explica critérios para escolha

Questionada sobre os critérios para definir as modalidades, clubes e eventos que patrocina e sobre como acompanha o retorno desses investimentos, a estatal respondeu em nota que não comentaria.

A respeito das novas diretrizes para o setor neste ano, a Caixa afirmou que “os patrocínios para 2019 estão sob análise”.

Ainda assim, mantém em seu site imagem na qual afirma ser “a maior apoiadora do futebol brasileiro”.

Fonte: GMB / Poder360