DOM 26 DE MAIO DE 2019 - 11:01hs.
Após requerimento do Dep. Weliton Prado

FEBRALOT diz que não se envolverá com a nova frente parlamentar dos lotéricos

A FEBRALOT – Federação Brasileira das Empresas Lotéricas - afirmou que não irá participar da iniciativa do Dep. Weliton Prado, que protocolou o requerimento 647/2018 pedindo a instalação de uma nova frente parlamentar na Câmara dos Deputados em defesa da rede lotérica. Apesar de considerar a ação positiva, a entidade diz que não foi consultada quanto a criação da nova frente e que continuará com seu trabalho na casa procurando pessoalmente cada deputado.

A FEBRALOT informou que não foi procurada em nenhum momento pela equipe do Dep. Weliton Prado para expor os anseios da rede e para saber o que os deputados poderiam fazer para auxiliar a classe. Sendo assim, esse movimento é um trabalho totalmente independente e não contará com o envolvimento da federação.

Em nota ao GMB a entidade também explicou que foi procurada por outros parlamentares e que deseja esperar o desenho político do novo congresso para se posicionar. Confira a nota: 

"Informamos a todos os interessados que após o resultado das eleições do ano passado, várias lideranças parlamentares entraram em contato com a Federação e também com vários de seus Sindicatos filiados, com o objetivo de reeditar a nossa Frente Parlamentar. Todavia, em nome dos interesses de toda nossa valorosa classe, pedimos que aguardassem a definição do posicionamento das forças políticas na oposição e na situação de forma a não sermos utilizados como massa de manobra por qualquer Partido político ou Parlamentar com interesses estranhos aos nossos reais objetivos. Por esta justa razão, solicitamos aos nossos ilustres e declarados apoiadores interessados na reorganização das forças políticas, que aguardassem a nossa criteriosa definição para que tomassem as iniciativas, com nosso efetivo apoio para formar a FRENTE PARLAMENTAR DESTA LEGISLATURA.

Não revelaremos os nomes dos parlamentares que nos procuraram para evitar especulações, mas foram ilustres representantes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal por Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e outros Estados de diversos partidos com bancadas fortes e representativas.

Nossa posição declarada após as eleições e antes da posse da nova composição da Câmara dos Deputados e do Senado Federal fica evidenciada nesta nota e, por esta razão, ainda que seja louvável a iniciativa do Deputado Mineiro Weliton Prado, autor do requerimento, nos declinamos do apoio em respeito ao nosso posicionamento frente aos Parlamentares que primeiramente nos procuraram, conforme a este esclarecimento. Não podemos afrontar os parlamentares predecessores".

Independente da criação dessa nova frente, a entidade também informou que dará continuidade ao trabalho que já vem desenvolvendo a muito tempo entre os parlamentares. 

“A FEBRALOT vai continuar fazendo o trabalho pessoal com cada um dos deputados apresentando suas necessidades e se necessário ela irá criar uma Frente Parlamentar independente da que está sendo desenvolvida com os deputados que tiverem empenhados nesse processo”, informou a federação.

Segundo a FEBRALOT as pautas que serão levadas aos parlamentares são as mesmas que já têm sido tratadas nos últimos anos. A dificuldade com o carro forte, insegurança, as intensas negociações com a Caixa Econômica Federal, pagamento de contas com qualquer bandeira bancaria, parcerias com cartões de débitos, coisas que facilitariam a vida dos lotéricos.

“A principal delas é a dos carros forte, pois, a maior dificuldade dos lotéricos é tirar o dinheiro de dentro da loja com segurança e não ter o custo, já que ele está pagando para proteger um dinheiro que não é dele, é da Caixa, então o consenso da rede é que esse custo seja do banco”, declarou a FEBRALOT.

O trabalho independente da FEBRALOT na Câmara dos Deputados é conhecido e já teve resultados importantes. Em 2017, com apoio da Frente Parlamentar dos Lotéricos da última legislatura, que era presidida pelo Dep. Goulart, conseguiram a aprovação em plenário do PL 7306/17 (dos deputados Luiz Carlos Hauly e Goulart), que reajustava os valores pagos pela Caixa e determinava a revisão anual da remuneração dos lotéricos pela prestação de serviços de recebimento de boletos bancários e fixava valores mínimos das taxas por esses serviços. O projeto foi ao Senado, porém, não chegou a ser votado, pois, deu origem a um acordo entre Caixa e Lotéricos que foi intermediado pelos senadores.

A FEBRALOT já deu seus primeiros passos em busca de apoio dos parlamentares da nova legislatura que começou em 2019. Os lotéricos foram recebidos pelo Dep. Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da república Jair Bolsonaro, que segundo a entidade foi receptivo e viu com bons olhos os trabalhos que venham favorecer os direitos empresariais da Classe e também, em consequência, melhorar o atendimento e serviço à população.

Fonte: Exclusivo GMB