DOM 27 DE SEPTIEMBRE DE 2020 - 01:20hs.
Jodismar Amaro, presidente da FEBRALOT

“Se o lotérico entender que não deve correr risco, tem a opção de fechar a loja sem ônus algum”

Em meio à crise do coronavirus que aflige o Brasil, surgiu uma polêmica quanto ao fechamento das unidades lotéricas que atendem a população por todo o país. Em entrevista ao GMB, Jodismar Amaro, presidente da FEBRALOT (Federação Brasielira das Empresas Lotéricas) explica algumas medidas que já foram tomadas junto à Caixa, as que ainda estão em estudo pelas entidades e pede para que a categoria não entre em pânico e tome todos os cuidados devidos.

As duvidas em torno do fechamento das lotéricas começaram assim que medidas de restrição a aglomerações começaram a aparecer pelo país como cancelamento de aulas, eventos esportivos, entre outras medidas. Nesta quinta-feira a FEBRALOT - Federação Brasileira das Empresas Lotéricas, divulgou uma nota comunicando a rede de que ainda estava negociando com a Caixa, gestora das unidades lotéricas, quais medidas seriam tomadas.

No mesmo dia, o banco soltou uma circular em que dá as seguintes orientações para a categoria: Licença de suspensão de funcionamento da UL a partir da Manifestação do lotérico, até 90 dias; Disponibilização de operação de crédito com recurso PIS com taxa de 0,8333% + TR em até 24 meses; Redução da taxa da operação de crédito de renegociação, exclusiva para lotéricas de 1,19% para 0,99%; Pausa das parcelas de todos os empréstimos PJ de lotéricos de até 180 dias; Encalhe de até 20% dos bilhetes distribuídos e suspensão de concursos futuros da Loteria Federal por 3 meses.

Apesar das medidas anunciadas pelas duas entidades, muitas dúvidas ainda ficaram no ar. Nessa entrevista exclusiva ao GMB, Jodismar Amaro, presidente da FEBRALOT, esclarece os principais pontos e quais os passos ainda serão estudados para restante do período de crise.   

GMB - O que foi recomendado pela Febralot ou pela Caixa quanto ao fechamento das unidades lotéricas?
Jodismar Amaro - Não foi recomendado o fechamento de nada. Isso é a critério do lotérico. Se ele entender que não deve correr risco, tem a opção de fechar a loja dele sem ônus nenhum. Pode fechar pois foi autorizado pela circular da Caixa. O empresário manda um oficio para a Caixa dizendo que vai parar de trabalhar por um período e é autorizado sem problema nenhum. É uma decisão individual.

Essas orientações repercutiram bem dentro da rede lotérica? Os empresários se sentiram atendidos?
Nós estamos negociando em partes. O que foi possível soltar de mais urgente, soltamos anteontem, ontem saiu mais um pacote e estamos trabalhando em outras medidas. Amenizou bastante a situação da rede. Falta alguma coisa? Sim. Mas, ainda estamos em contato com a Caixa e acredito que até segunda ou terça-feira, nós completamos esse pacote de medidas.

Das coisas que estão faltando, sobre o que elas se tratam? O que estão buscando?
Nós estamos buscando um acerto nas contas dos lotéricos que tem um passivo. Para esse, se a loja for fechada, ele fica devendo para a Caixa. Então, estamos buscando uma solução, talvez, através de um empréstimo para que ele possa zerar a conta dele e não fique negativo. No caso de uma orientação do governo para que se feche todas as lojas, o empresário não teria um passivo, não ficaria devendo não pagaria juros. Essa é a proposta principal: tentar resolver o problema da conta 043, que a do lotérico com a Caixa.

E como esta o dia a dia dos lotéricos em meio à crise? A Febralot tem recebido algum tipo de reclamação em um tom um pouco mais alto, mais ríspido?
Isso é administrado individualmente. Nós temos lotéricos que já optaram por fechar a loja. Ele achou que não queria correr o risco, passou um oficio para a Caixa e fechou. Temos casos de empresários que preferiram fechar. É individual. Cada um vai administrar do seu jeito dentro de algumas regras gerais. Quem quiser tomar uma medida de precaução maior, fecha. Tem gente reduzindo horário, abrindo as 10hs e fechando às 17hs. Não tem restrição nenhuma quanto ao lotérico administrar a sua loja. A Caixa permite e ele reduz horário ou mesmo fecha, não tem problema nenhum.

Qual a mensagem da FEBRALOT para os lotéricos nesse momento?
A mensagem é de calma. Que se tome todos os cuidados, preserve a saúde dos funcionários e da população. Aquele que tiver algum problema de contaminação na loja, esse sim tem que tomar um cuidado maior provavelmente dispensando os colaboradores e encerrando o atendimento. Mas, nós não podemos entrar em pânico. O problema existe e a melhor maneira de se tratar é tomando os devidos cuidados sem pânico.

Fonte: Exclusivo GMB