LUN 10 DE AGOSTO DE 2020 - 18:34hs.
Roberto Quattrini, representante da IGT/Scientific Games

“Esperamos lançar a Lotex entre novembro e janeiro, e ser a maior rede de jogo do Brasil”

Durante o terceiro webinar do ciclo “Agora Brasil”, realizado pelo GMB, Roberto Quattrini, Country Manager da IGT e representante do Consórcio Estrela Instantânea junto a Scientific Games, afirmou que a crise gerada pela COVID-19 atrasou os planos de lançamento da Lotex, porém revelou que a ideia é ter o produto no mercado entre novembro deste ano e janeiro de 2021. “Temos planos muito agressivos e a Lotex será a maior rede de jogo do Brasil”, prometeu Quattrini.

O executivo do consórcio afirmou que está muito satisfeito com o profissionalismo que encontrou nas esferas do governo envolvidas com o processo de implantação da Lotex e disse que não será um concorrente da Caixa Econômica Federal: “A IGT e a Scientific Games operam no mundo inteiro e encontrar o mesmo profissionalismo no Brasil foi algo que esperávamos, mas foi um verdadeiro prazer confirmar isso”, disse. 

Segundo o executivo, “a loteria instantânea não é concorrente dos demais jogos. A loteria instantânea tem prêmios de valor inferior, mas muitas extrações, o que a torna um produto bastante interessante e diferente das loterias da Caixa, que possuem duas ou três extrações semanais. Já o nosso produto tem quantas extrações o apostador quiser". 

Temos planos muito agressivos para o Brasil e a nova loteria será muito atrativa para todos e a maior rede de jogo do Brasil”, afirmou Quattrini.
 


Durante o encontro, o empresário disse que quando decidiram participar do leilão da Lotex, analisou que o jogo ilegal poderia ser uma ameaça, mas sempre teve a esperança de que tarde ou cedo o governo traria para a legalidade ou ele seria eliminado pelo governo. 

O que falta é paridade de tratamento no âmbito do jogo legal, o que nos preocupava. Um título de capitalização não paga licença nem imposto sobre o prêmio, ou seja, são uma concorrência desleal para nossa atividade. A permissão para que os canais de TV possam fazer sorteios não determinou regras e obrigações. Isso pode causar problemas para o jogo legal regulamentado no Brasil, pois nós temos 50 páginas de requisitos a cumprir, como certificações, controles etc”, comentou, dizendo que não existe nada parecido na Susep nem nos sorteios, concordando que o jogo do bicho também é uma atividade ilegal.

 

 

Para ele, o Brasil está fazendo a coisa certa. “Depois de tantos anos de monopólio, o Ministério da Economia, os parlamentares e demais envolvidos estão construindo um ambiente adequado para a liberação do jogo. Ele precisa como primeiro objetivo a proteção ao jogador. Tudo requer tempo e o Brasil está num bom caminho", finalizou.
 

Fonte: Exclusivo Games Magazine Brasil