VIE 30 DE OCTUBRE DE 2020 - 05:27hs.
Iniciativa da Caixa e do COB

Centenário do Brasil nos Jogos Olímpicos ganha bilhetes de loteria

O centenário da participação brasileira nos Jogos Olímpicos será celebrado com 400 mil bilhetes da Loteria Federal. A iniciativa da Caixa e do Comitê Olímpico do Brasil (COB) tem lançamento previsto para esta quarta-feira (5). De setembro até o fim deste ano, a cada mês, um modelo diferente será distribuído, com logomarca da campanha e ilustrações que homenageiam os cem anos de participação olímpica.

O primeiro bilhete da série trará o desfile da delegação brasileira na cerimônia de abertura dos Jogos de Antuérpia, na Bélgica, em 1920. Naquela ocasião, 21 atletas, todos homens, representaram o país.

No segundo, o personagem de destaque será o atirador Guilherme Paraense, primeiro brasileiro a conquistar uma medalha de ouro no evento, no dia 3 de agosto de 1920.

Foram três medalhas naquela edição, todas no tiro (prata com Afrânio da Costa e bronze por equipes).

"É uma forma de promover a memória olímpica, a trajetória do esporte brasileiro e dos nossos grandes atletas, além de uma inspiração às gerações futuras”, diz Manoela Penna, diretora de comunicação e marketing do COB. o comitê tem a maior parte de sua verba oriunda das loterias federais.

Por lei, recebe 1,71% do total arrecadado. Os valores são repassadas diretamente pela Caixa e aplicados na preparação dos atletas brasileiros, principalmente para os Jogos Olímpicos.

No início da pandemia, uma queda nesse repasse preocupou o COB, que no fim do ano passado projetou receber R$ 312 milhões de verbas das loterias (97% do seu orçamento total para o ano) em 2020. A partir de maio, porém, a arrecadação voltou a subir, atingindo R$ 27 milhões em junho.

Desde 2001, com a sanção da Lei Agnelo/Piva, que previa os repasses das loterias para a área esportiva, entre outras, o esporte brasileiro passou a ter uma fonte de receita que o fez mudar de patamar internacionalmente.

Os cálculos que definem os percentuais da distribuição mudaram ao longo dos anos, e a divisão atual foi estabelecida no fim do governo Michel Temer, em 2018. De 1920 até 2000, o país conquistou 66 medalhas em 18 participações. Nas quatro edições após a lei entrar em vigor, foram 62 medalhas.

Fonte: Folha de São Paulo