DOM 29 DE NOVIEMBRE DE 2020 - 22:20hs.
Opinião - Marco Taurisano, empreendedor e especialista do setor

“Em pesquisa, 56% das lotéricas relataram ter problemas de falhas e instabilidade todos os dias”

Nessa coluna de opinião assinada pelo especialista no mercado de loterias Marco Taurisano e feita com exclusividade para o GMB, ele destaca os maiores e menores índices apresentados em uma pesquisa feita pela ALSPI (Associação Nacional dos Empresários Lotéricos). Um sistema idealizado para Processamento de Jogos é um dos principais casos de análise, já que, hoje, é sobrecarregado, tendo diversas utilidades operacionais para as casas lotéricas, o que ocasiona instabilidade e lentidão para quem o maneja.

A rede Lotérica vem sofrendo muito com um sistema instável e lento. Perante a este cenário, a ALSPI (Associação Nacional dos Empresários Lotéricos), por iniciativa própria, resolveu lançar uma pesquisa de campo. Um trabalho que, na minha visão, além de muito acertado e necessário, foi muito bem feito e conseguiu dimensionar com propriedade o tamanho deste problema em todo o país.

Mais especificamente, informo que trata-se de um trabalho focado no SISPL (Sistema de Pagamento e Loterias), sistema que atualmente funciona no Terminal da Lotérica (TFL - Terminal Financeiro e de Loterias). Um sistema que nasceu em meados da década de 90 quando a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL tomou para si todo o processamento de transações realizadas nas lotéricas, transações essas que, à época, eram quase que exclusivamente focadas em jogos. Antes disso todo processamento era realizado por um software contratado e desenvolvido por terceiros.

É importante destacar que, tanto a instabilidade quanto o desempenho do SISPL não surgiram agora, são problemas antigos que só vêm se agravando com o passar tempo. Tenho pra mim que a causa e o agravamento destes problemas do SISPL se dá por conta do número de funcionalidades agregadas a um sistema que, quando concebido, não fora pensado para executar tantas funções adicionais, como por exemplo: Saques, depósitos, pagamentos de benefícios, recebimentos de boletos, contas de consumo, dentre outras.

Recentemente, a CEF iniciou um processo de renovação de todo o parque instalado, mais especificamente a troca dos TFLs por equipamentos novos, mais seguros e modernos, uma ação que resolve muitos problemas importantes da rede, como por exemplo o alto nível de manutenção e trocas de periféricos, e isso sem dúvida é muito bom! Mas não é isso que está em pauta aqui. Eu não acredito que a troca do equipamento resolverá a questão da instabilidade e talvez não melhore de forma significativa o desempenho das transações processadas no atual SISPL, cuja performance depende muito mais do link de dados, do processamento centralizado na matriz e do próprio SISPL, do que do equipamento instalado nas Lotéricas.

A coleta de dados da pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 20/08/2020, com a participação de 24 Estados + DF, traz a luz um verdadeiro diagnóstico nacional destes problemas.

O resultado desta pesquisa mostra dados muito interessantes, dos quais destaco:

- A participação de +14% das Lotéricas do Brasil, com destaque a participação na região sudeste com 20%.

- As Lotéricas que responderam detêm quase 8.000 TFLs (aprox.: 18% do parque instalado)

- O Melhor índice de satisfação, com 51% ficou com o "Processamento de Jogos" (Função para qual o SISPL foi originalmente concebido. Será coincidência?)

- O Pior Índice de Satisfação ficaram com dois itens (tecnicamente empatados) "Pagamento de Boletos" e "Saques e Depósitos"

- 56% das Lotéricas relataram ter problemas de Falhas/Instabilidade todos os dias. E 88% até 3x na semana.

- 92% das ULs já tiveram prejuízos financeiros diretos com as falhas do SISPL

- Ainda com o foco no SISPL, os itens "Treinamento", "Comunicação", "Suporte", "Velocidade" e "Confiança", 34% da Rede atribuiu notas entre 0 e 1. E 81% notas entre 0 e 5. Neste item o destaque positivo fica com "Confiança" que na média obteve uma nota 4,2.

Por fim ressalto que a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, na atual gestão, esta ouvindo mais a Rede e tem enfrentado estes problemas e que, estamos tratando de problemas de soluções bem complexas. Por outro lado é importante reconhecer que ainda estamos aquém do mínimo. Ainda há muito por fazer!

E sem dúvida vale a pena investir neste mercado! Afinal estamos falando de um mercado Bilionário (+R$17 Bi em 2019 - Só Jogo) e com um potencial incrível de crescimento nos próximos 3-5 anos.

*Marco Taurisano não responde pela ALSPI e nem a representa legalmente.

 

Marco Taurisano
Formado em Matemática e Estatística. Especialista e Palestrante no Mercado de Loterias e Empreendedor com duas StartUps também focadas no setor.