JUE 15 DE ABRIL DE 2021 - 22:37hs.
Sergio Alvarenga, CEO da empresa

Intralot do Brasil reforça investimentos se preparando para novos jogos

Em artigo exclusivo para o GMB, Sergio Alvarenga, CEO da Intralot Brasil, operadora de modalidades lotéricas em Minas Gerais, aponta que a companhia vem sendo procurada por players internacionais interessados no mercado brasileiro. Segundo ele, é importante que “se permitam equipamentos amplamente utilizados em todos os países do mundo”. O executivo admite que “ainda sem atuar diretamente no mercado de cassinos, bingos e equipamentos, a Intralot Brasil estuda a efetiva participação neste processo de amadurecimento de mercado”.

Há mais de 12 anos no Brasil, a Intralot já é referência no mercado de jogos lotéricos, principalmente nos estados em que atua. E já há algum tempo, está sendo procurada por players internacionais, que buscam iniciar ou até mesmo ampliar sua atuação no mercado nacional.

Vislumbrando um futuro breve, e já o início da operação de novos jogos, a Intralot do Brasil segue otimista e reforçando seus investimentos de forma estratégica.

É fato que grandes empresas internacionais estão se posicionando com mais força e maiores investimentos, de olho na legalização de cassinos, bingos, seus equipamentos no Brasil e a regulamentação das apostas esportivas.

Neste horizonte a expectativa é de que a Intralot do Brasil vai contribuir para um modelo que busque entretenimento, sem restrições às empresas internacionais, fornecedoras de equipamentos.

Então, os equipamentos serão permitidos e amplamente utilizados em todos os países do mundo, estando presentes no mercado brasileiro. Essa é a principal reivindicação e interesse das grandes empresas internacionais junto ao Congresso e ao governo federal, nas diversas audiências que tratam do tema.

É desejo das grandes empresas americanas e europeias estar no Brasil, um mercado com grande potencial, que amplia o posicionamento e oferta global dos bingos e videobingos.

Essas empresas alegam que o Brasil não pode restringir aos apostadores que buscam maior entretenimento e mais opções de jogos os equipamentos de videobingo. Da mesma forma, limitar que as empresas internacionais forneçam outros modelos de equipamentos, amplamente utilizados em todos os países legalizados.

Além dos benefícios de entretenimento e investimento, as grandes empresas do setor mundial estão dispostas a investir na fabricação de hardware, desenvolvimento de software, distribuição no Brasil e principalmente muitos empregos.

Ainda sem atuar diretamente no mercado de cassinos, bingos e equipamentos, a Intralot Brasil estuda a efetiva participação neste processo de amadurecimento de mercado. É uma satisfação o convite de empresários internacionais, brasileiros e órgãos governamentais neste momento de tantas perspectivas.

A avaliação da qualidade dos equipamentos destes players, seus protocolos e certificados é processo criterioso, assim como a operação realizada em outros países.

Em virtude disso, os estudos técnicos estão realizados para embasar, com responsabilidade, qual é a melhor empresa, tecnologia, segurança e opção para o Brasil.

Loterias estaduais em movimiento

Como já esperado, após a decisão unânime do STF, os estados brasileiros e DF iniciaram movimentos para a criação ou reativação de suas loterias. Podemos considerar que esta seja a única fonte nova de recursos para finalidades sociais, e que poderão abastecer projetos locais. 

A população poderá ver o resultado concreto destes recursos, uma vez que a loteria passa a ter um viés comunitário, formando uma equação em que ganha a população, o governo estadual e o setor privado.

Apostas esportivas em grande crescimento

As apostas esportivas seguem como a modalidade lotérica com maior crescimento no mundo. No Brasil, não poderia ser diferente, é natural da cultura brasileira e sua paixão pelo futebol, dentre outros esportes.

A discussão que ainda persiste refere-se a interpretação de alguns setores sobre esta regulamentação. O Acórdão do STF deixa claro que a regulamentação e suas peculiaridades caberão aos Estados e a União, de forma independente, através de Decreto/Portaria a fim de estabelecer um ambiente onde prevaleça uma segurança jurídica e absoluta transparência para os apostadores.

Nossa expectativa é que ambos concedam licenças considerando as melhores práticas mundiais. Sendo assim, Apostas Esportivas, a Loteria Instantânea, jogos virtuais e outras modalidades deverão seguir o mesmo processo.


Sergio Alvarenga
CEO da Intralot Brasil,
Exclusivo para o GMB