MAR 5 DE JULIO DE 2022 - 02:56hs.
Somente de janeiro a setembro

Ganhadores de loterias ‘esqueceram’ R$ 491 milhões na Caixa no ano passado

O que leva uma pessoa que ganhou na loteria a não buscar seu prêmio? Esse é um mistério a ser desvendado, enquanto R$ 491 milhões foram esquecidos, na Caixa, por seus ganhadores. Esse é o valor total apurado em levantamento do portal Sorte Online, junto à Caixa, que não foram resgatados somente de janeiro a setembro do ano passado. O montante já é superior ao total não resgatado em 2020. Prêmios a partir de outubro ainda estão no prazo.

O montante é referente à soma dos prêmios de todas as loterias administradas pela instituição, como Mega-Sena, Dupla-Sena, Quina, Lotofácil, Lotomania e Loteca. Os prêmios dos concursos sorteados a partir de outubro ainda estão no prazo de resgate, que é de 90 dias.

O valor esquecido nos nove primeiros meses do ano passado já é muito superior ao total relegado em 2020, que foi de R$ 311,9 milhões, segundo a Caixa.

O caso mais emblemático foi registrado em abril, quando o segundo ganhador da Mega da Virada de 2020 não apareceu e venceu o prazo para a retirada do prêmio: nada mais do que R$ 162,6 milhões. Segundo informou a Caixa, na época, o valor do prêmio bruto foi integralmente transferido ao Fundo de Financiamento do Ensino Superior (Fies), do Ministério da Educação, o destino final dos prêmios esquecidos.

Valores não retirados de janeiro a setembro de 2021 (R$ milhões)

Janeiro                 27,7

Fevereiro            23,3

Março                   29,8

Abril                      272,6

Maio                     23,8

Junho                   21,5

Julho                     26,7

Agosto                 32,0

Setembro           33,4

Fonte: Portal Sorte Online

Rendimento também perdido

E não são apenas os R$ 491 milhões que deixaram de ser resgatados que foram "perdidos". Os rendimentos que eles gerariam em investimentos simples também. Não é possível especificar quanto cada ganhador deixou perdido e, portanto, quanto deixou de receber em taxas de retorno.

Mas podemos calcular, a partir desse valor total de R$ 491 milhões, que o rendimento só na poupança, hoje, seria de R$ 2,5 milhões por mês — lembrando que o rendimento mensal da poupança está em 0,5%, com a taxa básica de juros (Selic) em 9,25% ao ano.

Já em um CDB (Certificado de Depósito Bancário) que pague 100% do CDI, são R$ 3,6 milhões - sendo 0,73% ao mês -, sem o desconto do Imposto de Renda.

Fonte: Valor Investe