DOM 22 DE MAYO DE 2022 - 20:26hs.
Para os clubes que cederem direito de imagem

Loteria do DF vai destinar 5% da arrecadação para o futebol profissional

A nova Loteria do DF, aprovada nesta semana pela Câmara Distrital e que será gerida pelo Banco Regional de Brasília, irá destinar 5% da arrecadação para o futebol profissional do Distrito Federal. A proposição foi acatada na votação da matéria em plenário e foi feita pelo deputado Eduardo Pedrosa.

A Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou na noite desta terça-feira (10/5) a criação da loteria do Distrito Federal. A nova loteria será gerida pelo Banco Regional de Brasília e destinará mais da metade dos valores arrecadados a diversos setores públicos e iniciativas sociais privadas do DF.

Dentro os agraciados, o futebol profissional do Distrito Federal será um dos destinatários da verba. Os times de categoria profissional da capital terão direito a 5% da arrecadação da instituição.

A Emenda 20, apresentada pelo deputado Eduardo Pedrosa em plenário, dispôs que “Fica destinado 5% (cinco por cento) dos recursos arrecadados em cada sorteio, com a exploração de jogos lotéricos de que trata a presente lei, para as entidades de prática desportiva da modalidade futebol sediadas no Distrito Federal que cederem os direitos de uso de suas denominações, suas marcas, seus emblemas, seus hinos ou seus símbolos para divulgação e execução do Serviço Púbico de Loteria do Distrito Federal.

Na prática, os clubes trocarão espaço publicitário por uma parte de 5% do valor arrecadado por cada sorteio. O projeto não descreve como se dará a divisão do bolo, nem a frequência dos repasses.

Inclusão de clubes por emenda no plenário

Esse percentual não constou do projeto inicial, enviado pelo Governador Ibaneis Rocha ainda em 2021. Mas, sua inclusão foi costurada com a base do atual mandatário do GDF e com partidos da oposição. O presidente da CLDF, Rafael Prudente, e o Dep. Eduardo Pedrosa foram os maiores incentivadores da proposta.

Logo antes da votação, Rafael Prudente comentou que “tenho certeza de que será um grande avanço. Quero agradecer a toda a turma da federação que nos procurou, e procurou o deputado Pedrosa. Então, conforme combinado aqui, a emenda está sendo apreciada e aprovada para que o esporte tenha cada dia mais apoio social do nosso governo e agora com a criação da loteria, eu tenho certeza, nós teremos um grande avanço”.

Um dos responsáveis pela inclusão dos clubes, Godofredo Gonçalves pontou que “é uma vitória muito grande para o esporte e o futebol do DF. Agradecer ao Deputado Eduardo Pedrosa (autor da emenda), Agaciel Maia (presidente da CEOF) e ao presidente da Câmara Rafael Prudente por sempre nos receberem e ouvirem as demandas que propomos. É uma mudança de patamar e profissionalismo para os times do DF”.

Entusiasta da proposta, o presidente do Ceilândia, Ari de Almeida, disse que “foi um ganho para o futebol local profissional. É a primeira vez na história que nós temos uma lei específica para nós que beneficia os clubes de futebol profissional. A Câmara Legislativa e o Governo acertam. Nós já temos vários seguimentos contemplados por leis e iniciativas e agora foi a vez do futebol. Mais um passo que o futebol dá para a sua reorganização”, falou.

O projeto vai para sanção do governador Ibaneis Rocha que pode vetar totalmente, ou trechos, do projeto. A tendência é que a parte dos clubes de futebol do DF siga sem alteração. Se o trâmite do projeto for rápido, no trimestre final do ano já deverão acontecer os primeiros sorteios da loteria e repasses aos clubes da capital federal.

Fonte: Distrito do Esporte