QUI 22 DE AGOSTO DE 2019 - 10:55hs.
De acordo com um deputado nacional

Sportingbet publicou ilegalmente na camisa de time de futebol uruguaio

Uma das duas equipes de futebol mais importantes do Uruguai, o Nacional, usou o logotipo da Sportingbet, um site de apostas esportivas brasileiro ilegal no Uruguai, de acordo com o deputado nacional Jorge Gandini.

Durante a partida entre Nacional e Botafogo pela Copa Libertadores, o deputado Gandini publicou no Twitter que a equipe uruguaia foi "com publicidade de Sportingbet em sua camisa, um site de apostas online brasileiro, ilegal no Uruguai".
 
"Eu assisti a algumas equipes uruguaias jogando a Copa, quando eles vão ao Brasil, eles mudaram a camisa e adicionam um patrocinador que são sites de jogos online do Brasil, mas não o fazem no Uruguai. Mas ontem, a curiosidade era que o Nacional estava com o logotipo do Sportingbet que é proibido no Uruguai", disse Gandini ao programa de rádio "No toquen nada".
 
"Eu relatei isso ao Ministro da Economia há algum tempo, quando o Uruguai jogou no estádio Centenario com publicidade estática da Spingol, que é um site argentino autorizado apenas pela província de Misiones, sem autorização legal no resto do território", adicionou ele.

 

PUBLICIDADE

 

O site Sportingbet que anunciou na camisa do o Nacional é inacessível no Uruguai, a menos que o IP esteja escondido.

"É proibido no Uruguai, de acordo com um princípio de legalidade estabelecido desde 1895, que regula e não é questionado, sobre quais jogos devem ser autorizados por lei. Os que não são autorizados por lei são ilegais e os jogos ilegais são sancionados", acrescentou Gandini.
 
"Se alguém anunciar um supermercado no Rio de Janeiro, só posso comprá-lo quando vou lá", mas neste caso "posso ir a esse site, fazer apostas esportivas e pagar com meu cartão de crédito", disse o deputado.
 
"Não estou questionando o Nacional. Não há mecanismos que funcionem para controlar jogos ilegais. Existem 30.000 máquinas caça-níqueis localizadas em bairros que são ilegais. Estas máquinas não pagam IVA, BPS, aluguel ou cânone, são ilegais e estão lá", acrescentou Gandini.
 
Fonte: GMB / 180.com.uy