SÁB 20 DE ABRIL DE 2019 - 01:18hs.
Na região de Coquimbo

Prefeito da cidade chilena de La Serena faz lobby para licença de cassino

O prefeito da cidade chilena de La Serena, na região de Coquimbo, Roberto Jacob, disse que é 'injusto' que apenas algumas comunas no Chile tenham o direito de ter um cassino em seu território e recebam como resultado mais de US$ 8,5 milhões por ano devido à receita adicional que geram.

Jacob informou aos conselheiros locais que, em breve, iniciará conversas com parlamentares para buscar mudanças na legislação atual, o que permitiria a construção de um cassino. Os conselheiros locais deram apoio ao prefeito para a proposta, o que significa que Jacob iniciará em breve conversações com legisladores de todas as partes, a fim de promover as mudanças legais relevantes. As leis de jogo no Chile atualmente proíbem a construção de um cassino, a menos que estejam a 60 quilômetros de distância de outro cassino.

"Eu acho que é uma tremenda injustiça que outras cidades recebam mais de cinco bilhões de pesos por ano, elevando o saldo do orçamento favoravelmente para eles. Fico feliz por terem isso, mas por que La Serena não pode ter um cassino, já que é uma cidade turística, apenas por causa da famosa restrição de 60 quilômetros?", declarou Jacob ao jornal local El Día.

Jacob disse que a cidade de La Serena é um destino turístico como outros resorts costeiros, como Viña del Mar, que tem um cassino. Além disso, os cassinos também poderiam ser permitidos em outros lugares do país se as alterações na lei fossem feitas. Ele também comentou que os cassinos gerariam o suficiente em um ano para pagar a dívida municipal da cidade de La Sirena. Para este fim, "vou fazer todos os arranjos necessários, porque La Serena merece ter um cassino", concluiu.

Quando perguntado se ele considerava que seria rentável instalar um cassino quando já estão presentes nas cidades de Coquimbo e em Ovalle, que estão na mesma região, o prefeito explicou que seria. "Isso é o mesmo que os supermercados, em que as pessoas se perguntam para que tantos, mas há clientes para todos eles, portanto, será rentável em qualquer caso, somando o número de turistas que chegam na cidade".

Souce: GMB / G3 Newswire