VIE 3 DE ABRIL DE 2020 - 20:07hs.
À medida que o medo do coronavírus passa

Cassinos de Macau reiniciarão suas operações a partir de 20 de fevereiro

O governo de Macau decidiu não estender o fechamento atual da indústria de cassinos da cidade. Foi o que disse Lei Wai Nong, secretária de Economia e Finanças, durante uma reunião política na segunda-feira. O desligamento de 15 dias existente vai até 19 de fevereiro, inclusive. Lei acrescentou que os 39 cassinos ativos não seriam obrigados a reabrir imediatamente e que os operadores teriam um período de até 30 dias para retomar as operações do cassino.

Todos os trabalhadores e usuários dos cassinos da cidade terão que usar máscaras protetoras, uma medida que foi introduzida antes da ordem de fechamento do cassino. O governo de Macau disse, na segunda-feira, que medidas adicionais, incluindo o ajuste da distância mínima entre as mesas de jogo, serão introduzidas para garantir a segurança dos trabalhadores e clientes.

A partir de 5 de fevereiro, Macau fechou todos os seus cassinos - e outros grandes centros de entretenimento - em um esforço para impedir que um novo coronavírus se espalhe localmente. Houve um total de 10 casos confirmados em Macau até hoje, com cinco pacientes - todos turistas de Wuhan, na província de Hubei, o centro do surto -, recuperando-se e voltando para casa após o tratamento em um hospital de Macau.

Nenhum novo caso foi registrado em Macau desde 4 de fevereiro.

A ordem de fechamento do cassino está causando um grande impacto nos operadores em Macau. Durante uma teleconferência com analistas de investimentos na semana passada, a administração da MGM Resorts International disse que o fechamento dos dois cassinos do grupo em Macau estava custando US$ 1,5 milhão por dia, a "maioria" composta por salários dos funcionários.

A operadora rival de cassinos Wynn Resorts Ltd disse em 6 de fevereiro que o fechamento temporário dos seus dois cassinos em Macau estava custando ao grupo entre US$ 2,4 milhões e US$ 2,6 milhões por dia.

Fonte: GMB