MIÉ 25 DE NOVIEMBRE DE 2020 - 05:26hs.
Alterações devem permanecer em vigor até 31 de julho

Porto Rico ordena o fechamento de cassinos em meio a picos em casos COVID-19

As autoridades de Porto Rico anunciaram grandes restrições, incluindo o fechamento de cassinos - junto a bares, academias, marinas e teatros - e restringiram o uso de praias, já que o território dos EUA foi atingido por um aumento nos casos de COVID-19 nas últimas semanas. A governadora Wanda Vázquez disse que as mudanças e medidas em andamento permanecerão em vigor até 31 de julho.

Outras mudanças incluem a proibição da venda de bebidas alcoólicas após as 19h, limitando a capacidade dos restaurantes a 50% e impedindo os turistas de viajarem para as populares ilhas de Vieques e Culebra. Somente aqueles que se exercitam serão autorizados a ir às praias, incluindo corredores, nadadores e surfistas.

"Atingimos um nível em que precisamos tomar medidas mais restritivas", disse Vázquez.

Vázquez disse que US$ 100 milhões serão liberados para ajudar os municípios afetados pela pandemia e outros US$ 150 milhões para ajudar hospitais privados. Ela também anunciou que pediu à Administração Federal de Aviação dos EUA que suspendesse temporariamente os voos vindos do Texas e da Flórida, observando que eles estão lutando com seu próprio pico nos casos COVID-19.

Espera-se que as restrições aprofundem a crise econômica da ilha e levem a uma queda no turismo, à medida que mais visitantes se deslocaram para o território norte-americano nas últimas semanas, irritando alguns que observam que nem sempre usam máscaras ou tomam outras medidas de precaução, como uma porção daqueles que vivem em Porto Rico ou visitam membros da família na ilha.

A ilha de 3,2 milhões de habitantes registrou mais de 3.000 casos confirmados de coronavírus, mais de 7.450 prováveis ​​e pelo menos 172 mortes, incluindo a de uma criança de 13 anos.

Somente no final de junho, o percentual de casos positivos em Porto Rico aumentou 10 vezes, de acordo com o Dr. José Rodríguez Orengo, diretor executivo do Puerto Rico Public Health Trust. "Se não tomarmos as medidas necessárias, isso continuará aumentando", disse ele em uma entrevista.

Fonte: GMB / AP