SÁB 28 DE NOVIEMBRE DE 2020 - 11:38hs.
CEO da AGA para o Senado dos EUA

“As apostas esportivas legais e regulamentadas protegem os atletas e a integridade do jogo”

O Presidente e CEO da American Gaming Association (AGA), Bill Miller, testemunhou nesta quarta-feira (22) perante o Comitê Judiciário do Senado dos EUA sobre como o mercado legal e regulamentado de apostas esportivas garante a integridade do jogo, protege atletas colegiados e profissionais, e ajuda a detectar apostas suspeitas e atividade ilegal. 'A proibição federal de sports betting foi um esforço fracassado que não devemos replicar', disse ele.

O CEO da AGA, Bill Miller, enfatiza as salvaguardas legais do mercado no Testemunho do Comitê Judiciário. "A proteção da integridade da competição é fundamental para os interesses de todo o ecossistema de apostas esportivas", testemunhou Miller.

"A proibição federal de apostas esportivas foi um empreendimento fracassado que não devemos replicar. Em vez disso, devemos trabalhar juntos para eliminar ainda mais o mercado ilegal difundido e apoiar os reguladores experientes cuja supervisão protege os interesses e a integridade de todos os envolvidos”, acrescentou Miller.

Em seu depoimento, Miller reiterou que a única maneira de proteger os atletas e a competição da corrupção é através da legalização contínua. “Ninguém tem maior interesse em evitar escândalos do que os operadores legais de jogos. De fato, os sportsbooks licenciados em Nevada historicamente foram os primeiros a descobrir a manipulação de resultados, identificando padrões irregulares de apostas e alertando os reguladores”, afirmou ele.

Miller incentivou o Congresso a considerar o aumento da pena federal máxima para manipulação de resultados e revogou o imposto federal sobre as apostas esportivas, o que coloca as apostas esportivas legais em desvantagem competitiva.

De acordo com a pesquisa da AGA, 74% dos apostadores esportivos americanos dizem que é importante apostar apenas através de provedores legais. Desde que a Suprema Corte declarou inconstitucional a Lei de Proteção ao Esporte Profissional e Amador, 22 estados e o Distrito de Columbia autorizaram apostas esportivas.

Fonte: GMB